Lula: “Governo que ofende Fernanda Montenegro e Chico Buarque merece uma lição”

O ex-presidente participou do relançamento do livro 'A Verdade Vencerá', com trechos escritos dentro da prisão

Lula não arreda pé. Foto: Edilson Junior

Lula não arreda pé. Foto: Edilson Junior

Política

 

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou, nesta terça-feira 10, os ataques que o governo de Jair Bolsonaro vem fazendo contra a classe artística do Brasil. “Um governo que tem coragem de ofender Fernanda Montenegro, Caetano Veloso, Chico Buarque merece uma lição: a derrota que vamos impor a eles”, disse Lula.

O petista participou do relançamento do livro A verdade Vencerá, da editora Boitempo, que conta a trajetória do processo que Lula enfrenta na operação Lava Jato. A obra, em sua nova versão, inclui partes que o ex-presidente escreveu de dentro da prisão, em Curitiba, onde ficou preso por 580 dias.

O evento, na quadra do Sindicato dos Bancários, no centro de São Paulo, contou com a presença dos jornalistas responsáveis pela escrita da obra e por integrantes do Partido dos Trabalhadores. 

Em um discurso curto, Lula agradeceu a presença dos militantes e comentou o caso, divulgado nesta terça-feira 10, em que a Polícia Federal abriu uma investigação contra seu filho Lulinha. “A Lava Jato está caindo no descrédito da opinião pública. Por isso fizeram hoje uma denúncia contra meu filho que havia sido arquivada em 2010. A entrevista que eles deram era uma coisa que cheirava canalhice”, afirmou o ex-presidente. 

Lula também anunciou que sua caravana nacional começará em janeiro do próximo ano. Enquanto isso, o petista diz que vai descansar. “Estou de peito aberto. Vou descansar um tempo, mas eles têm que saber que a partir de janeiro o Lula está na rua outra vez”.

A caravana anunciada por Lula será um termômetro para as eleições municipais de 2020. Desde que saiu da prisão, o ex-presidente articula nomes que contarão com seu apoio. Já disse, entretanto, que não abre mão de o PT ter candidaturas próprias nas principais cidades.

“Não coloco os rabos entre as pernas. Uma coisa que eles não sabem: minha história construída com o povo não se deu por uma campanha política, se deu por uma vida.”

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem