Lula é o único candidato que derrotaria Bolsonaro, reforça pesquisa

Levantamento EXAME/IDEIA mostra que o petista se consolidou como favorito na corrida ao Planalto em 2022

Lula é o único candidato que derrotaria Bolsonaro, reforça pesquisa

Política

Pesquisa EXAME/IDEIA, divulgada nesta sexta-feira 21, mostra que que Lula é o único candidato que pode derrotar o presidente Jair Bolsonaro em um eventual segundo turno nas eleições de 2022.

 

 

Qualquer outro nome colocado como opção perderia para Bolsonaro no segundo turno. O petista venceria o atual presidente por 45% a 37%.

Lula ampliou a vantagem desde a última sondagem, realizada há um mês, e consolidou o favoritismo ao Palácio do Planalto.

O único candidato que aparece com melhor chance de rivalizar tanto com o ex-presidente quanto com Bolsonaro é Sergio Moro, com 18% das intenções de voto, mas ainda assim perderia para o petista.

O levantamento ouviu 1.200 pessoas entre os dias 19 e 20 de maio. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares.

 

Rejeição

Na avaliação de 54% dos brasileiros, o presidente não merece ser reeleito para mais quatro anos de mandato. Em relação ao ex-presidente Lula, este número cai para 50%.

A rejeição a Bolsonaro também é alta quando os eleitores são questionados em quem eles não votariam de jeito nenhum. Entre os entrevistados, 39% disseram que não dariam mais uma chance ao atual presidente. Lula aparece com 36%, seguido de João Doria, com 25%, e Sergio Moro, com 21%.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem