CartaExpressa,Política

Lira recusa bloco de Baleia e tira adversários de cargos na Mesa Diretora da Câmara

Lira recusa bloco de Baleia e tira adversários de cargos na Mesa Diretora da Câmara

Nova votação para definição dos postos foi convocada para esta terça-feira 2

Foto: Reprodução/TV Justiça

Foto: Reprodução/TV Justiça

Em seu primeiro ato como presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) anulou na noite desta segunda-feira 1 o registro do bloco de seu principal adversário, Baleia Rossi (MDB-SP). Com isso, ele retira da Mesa Diretora da Casa os postos de partidos que endossaram o emedebista.

Lira, apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, agendou para as 16h desta terça-feira 2 uma nova eleição para a definição dos integrantes da Mesa: dois vice-presidentes, quatro secretários e quatro suplentes.

Segundo Lira, o bloco formado em defesa da candidatura de Baleia, que terminou a eleição para a presidência em segundo lugar, foi oficializado depois de encerrado o prazo. O líder do Centrão reverte, assim, uma decisão tomada à tarde pelo então presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ).

No acordo celebrado nesta tarde, o PL poderia indicar o candidato a primeiro vice-presidente; o PSD, o nome para segundo vice-presidente; o PT, para primeiro-secretário; o PSDB, para segundo secretário; o PSL, para terceiro-secretário; e PSB e Rede, para quarto-secretário.

“Considerando que neste momento apenas o cargo de presidente foi apurado, cargo excluído da proporcionalidade partidária, permitindo a candidatura de qualquer deputado e que nenhuma candidatura apresentada a este cargo foi indeferida; considerando que ainda não é conhecida a vontade deste soberano plenário, quanto à parte equivocada, relativas aos demais cargos, decide tornar sem efeito a decisão que deferiu o registro do bloco”, anunciou Lira por volta das 23h30.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem