Justiça dá aval à quebra de sigilo bancário de Flávio Bolsonaro e Queiroz

Decisão atinge também a esposa do senador, uma empresa de chocolates e a família de seu ex-assessor

Justiça dá aval à quebra de sigilo bancário de Flávio Bolsonaro e Queiroz

Política

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro autorizou a quebra do sigilo bancário do senador Flávio Bolsonaro (PSL) e de seu ex-assessor Fabrício Queiroz. A decisão atende o Ministério Público do Rio de Janeiro. As informações são do site do jornal O Globo. 

Ainda de acordo com o jornal, a autorização foi dada e 24 de abril, mas só agora caiu o segredo de justiça. A esposa do senador, Fernanda Bolsonaro, e a empresa de ambos, Bolsotini Chocolates e Café Ltda, também terão as contas verificadas. A decisão atinge ainda as duas filhas de Queiroz, Nathália e Evelyn, e a mulher do ex-assessor.

Em entrevista ao Estadão, publicada na manhã desta segunda-feira, o senador defendeu que a investigação fosse anulada. Segundo ele, o MP estaria preparando uma manobra para dar “verniz de legalidade” à investigação, conseguindo na Justiça a quebra do seu sigilo bancário. O MP-RJ reagiu em nota, acusando Bolsonaro de ‘direcionar esforços’ para interromper as investigações.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem