…

Haddad aumenta tom contra Bolsonaro: ‘Defende tortura até hoje’

Política

Em sua conta no Twitter, Fernando Haddad, candidato do PT ao Planalto, aumentou o tom das críticas a Jair Bolsonaro, do PSL. Nesta quarta-feira 10, data em que se realizará o ato “Ditadura Nunca Mais” na avenida Paulista, o petista buscou associar o capitão reformado do Exército à sua defesa histórica da repressão militar

Meu adversário defende torturador até hoje, mesmo sabendo que nos porões da ditadura aconteciam estupros contra as mulheres presas”, afirmou Haddad.

Leia também:
Wagner: Se o mercado escolhe Bolsonaro, o Brasil vai escolher Haddad
PSDB não escolhe entre Haddad e Bolsonaro e libera filiados

Ele fez críticas à escalada da violência no País. “Temos que responder com cidadania, civilidade e democracia. Violência não se responde com violência.”

O candidato petista também criticou seu adversário por não participar de debates. Nesta quarta 10, médicos de Bolsonaro afirmaram que ele não participará do encontro com Haddad na TV Bandeirantes, previsto para esta quinta. O candidato também faltou ao debate da Globo no primeiro turno por recomendações médicas.

“Vamos fazer uma campanha propositiva e demarcar as diferenças entre projetos. Agora, meu adversário precisa participar dos debates. Eu estou disposto a ir até uma enfermaria se for preciso para debater o Brasil. Ninguém pode ser eleito sem apresentar as suas propostas ao povo.”

Em mais um tuite, Haddad disse que não precisa mentira sobre Bolsonaro, apenas falar a verdadade. “Já ele, precisa inventar mentiras sobre nós todos os dias.”

O petista também criticou Paulo Guedes, conselheiro econômico do candidato do PSL, cujo programa aprofundaria “a agenda de Temer”. “Nossa proposta é aumentar o poder de compra do brasileiro, reduzindo a carga tributária de quem ganha menos e cortando os juros cobrado pelos bancos”, disse.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem