Guedes diz que ‘excessos’ da classe média podem alimentar ‘mendigos e desamparados’

O ministro da Economia elogiou os pratos dos 'cidadãos de classe média europeus', que são 'relativamente pequenos'

O ministro da Economia Paulo Guedes. Foto: Evaristo Sá/AFP

O ministro da Economia Paulo Guedes. Foto: Evaristo Sá/AFP

Política

Partidos e políticos de oposição ao governo de Jair Bolsonaro reagiram com revolta, nesta quinta-feira 17, a uma declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre o desperdício de comida no Brasil.

Pela manhã, durante o 1º Fórum Nacional da Cadeia de Abastecimento, promovido pela Associação Brasileira de Supermercados, o economista afirmou que o prato de um cidadão de classe média da Europa, “que já enfrentou duas guerras mundiais”, seria “relativamente pequeno”.

“E os nossos, aqui, fazemos almoços onde (sic) às vezes há uma sobra enorme. E isso vai até o final, que é a refeição da classe média alta. Até lá, há excessos”, prosseguiu.

 

 

“Como utilizar esses excessos que estão em restaurantes e esse encadeamento com as políticas sociais, isso tem que ser feito. Toda aquela alimentação que não for utilizada durante aquele dia no restaurante, aquilo dá para alimentar pessoas fragilizadas, mendigos, desamparados. É muito melhor do que deixar estragar essa comida toda”.

Guedes ainda declarou que o governo tem de “fazer políticas sociais que permitam que os mais frágeis e vulneráveis sejam incorporados à cadeia produtiva ou amparados socialmente, os que não puderem ser integrados”.

Assista à declaração de Guedes (a partir de 1:34:10):

 

 

As alegações geraram revolta em setores da oposição. Confira algumas das reações:

 

 

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem