Governo muda divulgação de dados do coronavírus e fala em números fantasiosos

Parlamentares acusam o presidente de tentar manipular os dados da pandemia no país

Ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello . Foto: PR

Ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello . Foto: PR

Política

Após dois dias seguidos de recordes de mortes pelo coronavírus, o ministério da Saúde do governo de Jair Bolsonaro decidiu mudar a comunicação oficial dos dados da pandemia. Nesta sexta-feira 05, o comunicado enviado à imprensa não continha o total de óbitos e infectados, como acontece desde o início dos casos no país —apenas os registros do dia foram divulgados.

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde.

O site no qual as informações são compiladas também saiu do ar. O presidente compartilhou em suas redes sociais uma nota do ministério justificando a alteração. “Ao acumular dados, além de não indicar que a maior parcela já não está com a doença, não retratam o momento do país. Outras ações estão em curso para melhorar a notificação dos casos e confirmação diagnóstica”.

Outra alteração foi no horário que os dados são divulgados. Na gestão do ex-ministro Henrique Mandetta, os números eram divulgados às 17h. Na gestão do ex-ministro Nelson Teich o boletim era enviado às 19h. Agora, a divulgação é feita0 às 22h. Segundo a nota compartilhada por Bolsonaro, a alteração se deu para evitar subnotificação e inconsistências, “o que permite passar por esse processo completo”.

No dia anterior, no entanto, o presidente afirmou que a alteração no horário acabaria com matéria no Jornal Nacional, da TV Globo. Com isso, a emissora decidiu divulgar os dados através de um plantão urgente, como aconteceu nesta sexta-feira.

Governo fala em ‘números fantasiosos’

Carlos Wizard, novo secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, disse nesta sexta que o Ministério da Saúde deve recontar o número de mortes causadas pelo novo coronavírus.  “Eu acredito que vai ter um dado mais real, porque o número que temos hoje está fantasioso ou manipulado”, disse Wizard ao jornal O Globo.

O secretário acredita que os óbitos seriam, na verdade, menores do que indicam os dados atuais. Ele alega que mortes causadas por outras enfermidades podem ter sido registradas como covid-19 para que os municípios tivessem orçamento maior.

“Tinha muita gente morrendo por outras causas e os gestores públicos, puramente por interesse de ter um orçamento maior nos seus municípios, nos seus estados, colocavam todo mundo como covid. Estamos revendo esses óbitos”, afirmou.

TCU quer obrigar governo a divulgar os dados

O ministro Bruno Dantas, do TCU, estuda apresentar uma proposta para que o tribunal e os tribunais estaduais recolham, consolidem e divulguem eles mesmos, às 18h, os dados que o Ministério da Saúde tem tido dificuldades para apresentar diariamente, sobre a pandemia.

”Com as novas dificuldades para divulgar dados nacionais de infectados, curados e óbitos da Covid-19, as instituições devem ajudar. Cogito propor ao TCU e aos tribunais de contas estaduais que requisitemos e consolidemos dados estaduais  para divulgação diária até 18h”, disse o ministro.

O senador Randolfe Rodrigues (REDE) afirmou neste sábado 06 que entrará com uma representação contra o presidente no STF. “O que Bolsonaro está fazendo é uma clara tentativa de manipulação de dados acerca da covid-19. Como se sua gestão inepta e omissa não fosse o suficiente! Ainda hoje, entraremos com ação no STF, obrigando o Governo a dar transparência aos dados da pandemia”, afirmou o parlamentar.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem