Governo Bolsonaro gasta quase 5 milhões com alfafa e farelos

Levantamento mostra que o governo federal gastou 1,8 bilhão em alimentos em 2020, 20% a mais do que no ano anterior

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: ALAN SANTOS/BRAZILIAN PRESIDENCY/AFP

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: ALAN SANTOS/BRAZILIAN PRESIDENCY/AFP

Política

O governo federal gastou mais de 1,8 bilhão em compras de alimentos em 2020, 20% a mais do que o gasto em 2019. O levantamento foi feito pelo Metrópoles no domingo 24, com base no Painel de Compras atualizado pelo Ministério da Economia.

 

 

 

As cifras, no entanto, saltam ainda mais aos olhos quando equiparadas aos produtos. Só em alfafa, leguminosa amplamente utilizada como alimento para ruminantes em regiões de clima temperado e seco, foram gastos mais de um milhão de reais (R$ 1.042.974,22). Em farelo, mais de 3 milhões (R$ 3.897.145,01).

Com leite condensado, um dos alimentos prediletos de Jair Bolsonaro, foram gastos mais de 15 milhões (R$ 15.641.777,49).

O levantamento enumerou um total de 140 produtos com os quais foram gastos mais de um  milhão em compras. Ainda integram a lista alimentos como biscoitos, achocolatado, azeitona, carne bovina e de ave, bombons, chantlilly, chiclete, entre outros.

O Ministério da Defesa é a pasta que efetuou a maior parte das compras, com os montantes mais altos, 632 milhões no total. O Ministério da Educação aparece em segundo com 60 milhões em compras de alimentos.

Em nota enviada à reportagem, o Ministério da Economia justificou que a maior parte desse tipo de despesa está no Ministério da Defesa “porque se refere à alimentação das tropas das forças armadas em serviço”. E que “toda despesa efetuada pela Administração Pública Federal está dentro do orçamento”.

Também em nota as Forças Armadas justificaram que  o órgão tem a responsabilidade de promover a saúde do seu efetivo, composto de 370 mil pessoas, por meio de uma dieta balanceada diária. E que, por isso, é compreensível que a maior parte dos gastos com alimentação se dê na pasta.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem