Governador de SC decide prorrogar quarentena por coronavírus no estado

O isolamento social no estado se manterá até o dia 7 de abril. Há regras flexíveis para bancos, lotéricas, obras públicas e civis

Governador de SC decide prorrogar quarentena por coronavírus no estado

Política

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), decidiu prorrogar o fim da quarentena no Estado por mais sete dias, como forma de combater o coronavírus. Neste domingo, Moisés declarou que vai seguir as orientações da Organização Mundial da Saúde e que o isolamento social no estado se manterá até o dia 7 de abril.

A quarentena no estado acabaria no dia 30 de março, depois de uma portaria publicada pelo governador. O texto previa que, a partir do dia 1 de abril, voltassem a funcionar academias, shopping centers, bares, restaurantes e comércio em geral. Essas atividades continuarão suspensas.

O governador tinha sinalizado apoio ao presidente Jair Bolsonaro que questionou a quarentena e defendeu o isolamento social apenas para idosos e pessoas com doenças. Os estados de Mato Grosso e Rondônia também anunciaram a flexibilização das ações de quarentena.

Segundo o governador, haverá flexibilização para obras públicas e civis e para o funcionamento de bancos e lotéricas, que acontecerão com restrições, como controle de acesso, priorizando atendimentos que não possam ser feitos via canais virtuais e com regras sanitárias a funcionários e clientes.

O Estado de Santa Catarina tem 197 casos de coronavírus confirmados, além de um óbito, e 16 pacientes internados em unidades de terapia intensiva. O Ministério da Saúde anunciou, neste domingo 29, 136 mortes e 4256 casos confirmados no País.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem