Governador de SC acredita em ‘arquivamento definitivo’ de impeachment

A partir da terça-feira, Carlos Moisés ficará afastado do cargo por 180 dias, que será assumido pela vice-governadora Daniela Reinehr

Governador de SC acredita em ‘arquivamento definitivo’ de impeachment

Política

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), afastado temporariamente do cargo por definição do Tribunal de Julgamento do Impeachment, disse que acredita no “arquivamento definitivo” da ação.

 

 

“Não há justa causa, é um processo de discussão jurídica, apesar do processo de impeachment ser político. Nós acreditamos ainda no resultado do arquivamento definitivo porque, temporariamente, há o afastamento, mas com esse mesmo resultado, não se opera o afastamento definitivo e a perda de cargo público”, disse em pronunciamento no sábado 24.

 

 

Durante o afastamento de 180 dias, que começa a partir da terça-feira 27, Moisés será julgado por crime de responsabilidade em razão do aumento salarial dado aos procuradores do estado.

O Tribunal do impeachment teve seis votos a favor e quatro contra o recebimento da denúncia contra Moisés.

No período, o cargo será ocupado interinamente pela vice-governadora Daniela Reinehr, que teve denúncia rejeitada pelos desembargadores.

Moisés afirmou que já conversou com Daniela sobre o período de transição da gestão estadual.

“Há muitos investimentos importantes a serem feitos com recursos próprios do Governo, fruto de valor economizado com a reforma administrativa e revisões de contratos que fizemos. Agradeço por todas as manifestações de apoio e de carinho que tenho recebido. Seguimos em frente!”, afirmou.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem