Funcionário do governo usa jato da FAB para viajar e Bolsonaro aponta demissão

Casa Civil argumentou primeiramente que o funcionário seguiu critérios da lei. Onyx Lorenzoni ainda não se manifestou

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: EVARISTO SA / AFP

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: EVARISTO SA / AFP

Política

Um secretário-executivo da Casa Civil, que utilizou um avião das Forças Armadas Brasileiras (FAB) para viajar à Índia, será demitido do cargo de acordo com declaração desta terça-feira 28 do presidente Jair Bolsonaro.

“Inadmissível o que aconteceu. Já está destituído da função de executivo do Onyx, decido por mim. Vou conversar com o Onyx para ver quais outras medidas vão ser tomadas contra ele. É inadmissível o que aconteceu”, disse o presidente ao chegar no Palácio do Planalto da viagem à Índia.

A Casa Civil, porém, argumentou primeiramente que a solicitação de uso do avião “seguiu os critérios definidos na legislação vigente”. O ministro-chefe da pasta, Onyx Lorenzoni, ainda não se manifestou sobre a provável demissão de seu funcionário, apesar do presidente ter decretado um “ponto final sobre a questão”.

Bolsonaro ainda acrescentou que a medida não era ilegal, mas “imoral”, o que parece ter justificado a decisão do presidente.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem