CartaExpressa

‘Falta o chefe da quadrilha, Jair Bolsonaro’; políticos comentam prisão de Roberto Jefferson

Decisão do ministro Alexandre de Moraes movimentou as redes sociais entre autoridades nesta sexta-feira 13

Foto: Divulgação PTB
Foto: Divulgação PTB

O presidente do PTB, ex-deputado federal Roberto Jefferson, foi preso na manhã desta sexta-feira 13 após determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Jefferson é acusado de integrar uma milícia digital responsável por ataques antidemocráticos. O pedido de prisão preventiva pede ainda o bloqueio de redes sociais e o recolhimento de armas.

A prisão do ex-deputado gerou reações entre políticos. Confira:

“CAI Roberto Jefferson, um dos principais bandidos de estimação do bolsonarismo, elo corrupto entre Centrão e fascismo. No mesmo inquérito são investigados Dudu [Eduardo Bolsonaro] e Flavio Bolsonaro pelos ataques à democracia usando milícia digital. O GABINETE DO ÓDIO VAI CAIR!”, escreveu o deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP).

Em outra publicação, Valente celebrou a detenção e afirmou que o presidente do PTB estaria incentivando a formação de milícias armadas no Brasil.

“Corrupto confesso, bandido bolsonarista, miliciano e agora fascista assumido, tem a prisão decretada por Alexandre de Moraes. Ele está estimulando a formação de milícias armadas. Capacho de genocida!”, postou.

Outro parlamentar que opinou foi Marcelo Freixo (PSB-RJ). O deputado lembrou da relação de Jefferson com o governo Bolsonaro.

“Para o governo Bolsonaro, Roberto Jefferson, condenado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva, é um “soldado da liberdade e da democracia”. É uma completa inversão de valores. Defensores de bandidos”, escreveu o carioca, ao relembrar a visita recente de Jefferson ao ministro do governo Luiz Eduardo Ramos.

Em outra publicação, Freixo também tratou da participação da família Bolsonaro no chamado ‘gabinete do ódio’ e desejou “que Carlos Bolsonaro siga o mesmo caminho de Roberto Jefferson”.

A deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS) celebrou a prisão nas redes: “Finalmente! Faz tempo que o ex-deputado vem fazendo ameaças absurdas na internet”.

Ao falar da prisão, Rogério Correia, do PT-MG, relembrou vídeos recentes de Jefferson, em que o líder partidário portava armas e fazia ameaças aos ministros e parlamentares.

“Ostentava armas e bancava o valentão bolsonarista. Vamos ver como reage mais este covarde!”, escreveu o deputado.

Além dos parlamentares, outras figuras políticas brasileiras comentaram a prisão. Guilherme Boulos, candidato à presidência em 2018 pelo PSOL, destacou que o próximo alvo deveria ser o presidente Jair Bolsonaro.

“O comboio do golpismo vai indo pra onde merecem. Falta o chefe da quadrilha, Jair Bolsonaro”, escreveu.

Manuela d’Ávila (PCdoB), candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad em 2018, também repercutiu a decisão de Moraes, relembrando alguns dos alvos de ameaça do ex-deputado.

“Roberto Jefferson tem ameaçado sistematicamente as instituições e a democracia. Mais ainda: tem incentivado permanentemente o uso de armas contra os que pensam diferente, como fez recentemente, contra o embaixador da China e em outro vídeo, contra mim”.

O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, alvo das ameaças de Jefferson, também celebrou a prisão nas redes sociais. “Lindo dia para todos!!!”, escreveu após a notícia da decisão de Moraes.

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, também falou sobre a prisão. Em entrevista à GloboNews, Mourão disse ‘achar complicado’ a detenção do ex-deputado.

“Na minha visão é aquela história né, tenho visto que o ex-deputado Roberto Jefferson faz as críticas aí que se podem colocar como pesadas. Se o camarada se sente ofendido ele tem que buscar o devido processo. O ministro Alexandre de Moraes tem uma certa prerrogativa, mas essa história de mandar prender é meio complicado”, afirmou o general.

Até este momento, nenhum parlamentar eleito pelo PTB se manifestou sobre a prisão de Jefferson nas redes sociais. Dos correligionários do ex-deputado, Douglas Garcia, deputado estadual em São Paulo, defendeu o presidente da sigla.

“Minha solidariedade a Roberto Jefferson. Mais uma prisão arbitrária no Brasil! Enquanto isto, o Senado, a única Casa que tem poder para barrar estes abusos está de joelhos ao sistema. O jurídico do PTB está tomando todas as medidas cabíveis nacionais e internacionais”, publicou.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!