‘Falha minha’, diz Bolsonaro sobre MP da demarcação de terras indígenas

Ação foi recebida com 'perplexidade' por MPF e Supremo, já que Bolsonaro ignorou decisão tomada no Congresso

Foto: Lula Marques

Foto: Lula Marques

Política

Nesta sexta-feira 2, Jair Bolsonaro afirmou que ele e a equipe erraram ao editarem uma medida provisória, em junho, que colocava a demarcação das terras indígenas como responsabilidade do Ministério da Agricultura.

“Teve uma falha nossa. […] A gente não poderia no mesmo ano ter que fazer uma MP de uma ação já decidida. Houve falha nossa. A falha é minha, né. É minha porque eu assinei. Considero a decisão [do STF] acertada”, disse o presidente.

Ele se referia à decisão tomada por unanimidade no Plenário do Supremo nesta quinta-feira 1, que voltou a colocar a Funai, que pertence ao Ministério da Justiça, como a responsável pela ação da demarcação.

Em junho, o ministro Luis Roberto Barroso suspendeu o trecho de uma medida provisória que contrariava o que havia sido decidido no Congresso na época das discussões sobre a MP 870, que tratava da reformulação administrativa do governo.

A decisão foi alvo de críticas por parte do Ministério Público Federal, que manifestou “perplexidade” com o teor da medida. O órgão afirmou que o ato de Bolsonaro violava a Constituição e a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF). O texto diz ainda que a mudança desrespeita o processo legislativo, já que o Congresso havia vetado em maio a transferência da tarefa à pasta da ministra Tereza Cristina.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem