Política

Extrema-direita, feminismo, trabalho: o que pensa a nova esquerda?

‘CartaCapital’ conversou com o espanhol Miguel Urbán (Podemos), Isa Penna e Juliano Medeiros sobre os problemas mais urgentes do nosso tempo

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Miguél Urbán, eurodeputado e cofundador do Podemos e os psolistas Juliano Medeiros e Isa Penna se juntaram para discutir um assunto urgente: por que a decepção com o neoliberalismo foi capturada por líderes como Trump e Jair Bolsonaro?

Os três têm muito em comum: são jovens, vindos da universidade e representam partidos nascidos no caldo político contemporâneo. O PSOL nasceu em 2004 como alternativa à esquerda aos vícios do establishment petista. Já o Podemos é fruto da insatisfação com as políticas de austeridade pós-2008 na Espanha.

A convite de CartaCapital, o trio bateu um papo sobre extrema-direita, futuro do trabalho e o papel do movimento feminista na luta contra o autoritarismo.

frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen>

Leia também: Reeditar o passado não resolverá o futuro da esquerda, diz Boulos

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!