Ex-segurança de Demóstenes fica calado na CPI

Política

Ivan Richard


Repórter da Agência Brasil


Brasília – Ex-segurança do ex-senador Demóstenes Torres, Hillner Braga Ananias permaneceu calado na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Cachoeira.

Apesar de o relator da CPI, deputado Odair Cunha (PT-MG), ponderar que ele poderia usar o tempo disponível para se defender e negar participação no esquema de Carlinhos Cachoeira, Ananias preferiu o silêncio.


“Agradeço ao relator, mas conversei com meu advogado que me orientou e achou por bem que eu mantivesse o silêncio”, resumiu o ex-segurança de Demóstenes Torres.


Ananias compareceu à CPI de posse de um habeas corpus expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ele teve o nome citado em ligações captadas pela Polícia Federal durante as investigações da operação Monte Carlo, que resultou na prisão do contraventor goiano.


O segurança trabalhou para o ex-senador Demóstenes Torres, cassado por envolvimento com o grupo de Cachoeira.

*Matéria originalmente publicada na Agência Brasil

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem

Ex-segurança de Demóstenes fica calado na CPI

Política

Ivan Richard


Repórter da Agência Brasil


Brasília – Ex-segurança do ex-senador Demóstenes Torres, Hillner Braga Ananias permaneceu calado na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Cachoeira.

Apesar de o relator da CPI, deputado Odair Cunha (PT-MG), ponderar que ele poderia usar o tempo disponível para se defender e negar participação no esquema de Carlinhos Cachoeira, Ananias preferiu o silêncio.


“Agradeço ao relator, mas conversei com meu advogado que me orientou e achou por bem que eu mantivesse o silêncio”, resumiu o ex-segurança de Demóstenes Torres.


Ananias compareceu à CPI de posse de um habeas corpus expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ele teve o nome citado em ligações captadas pela Polícia Federal durante as investigações da operação Monte Carlo, que resultou na prisão do contraventor goiano.


O segurança trabalhou para o ex-senador Demóstenes Torres, cassado por envolvimento com o grupo de Cachoeira.

*Matéria originalmente publicada na Agência Brasil

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem