Política

Ex-deputado Boca Aberta é preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo

O bolsonarista foi preso durante cumprimento de mandados em operação que investiga prática de ‘rachadinha’

Deputado Boca Aberta, do PROS-PR, propõe que políticos corruptos tenham as mãos amputadas (Foto: Michel Jesus / Câmara dos Deputados)
Apoie Siga-nos no

O ex-deputado federal Emerson Petriv, conhecido como Boca Aberta, foi preso em flagrante, nesta quarta-feira 19 por porte ilegal de arma de fogo. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo.

A prisão ocorreu durante cumprimento de mandados de busca e apreensão em uma operação que investiga suposta prática de “rachadinha”. Na ação foram apreendidos celulares e computadores do ex-parlamentar. 

Segundo testemunhas e vítimas ouvidas pelo Gaeco, o bolsonarista estaria usando as redes sociais para atacá-las, possivelmente buscando desacreditá-las para atrapalhar a instrução processual.

A investigação busca esclarecer se o político, quando deputado, solicitou para si a devolução de parte do salário pago a seus assessores. 

Caso seja solto, Boca Aberta deverá ser monitorado com o uso de tornozeleira eletrônica e ficar proibido de manter contato físico ou virtual com as testemunhas da investigação. 

Boca Aberta teve seu mandato como deputado federal cassado em 2021, por decisão do Tribunal Superior Eleitoral. A Corte concluiu que o parlamentar seria inelegível por ter o mandato de vereador em Londrina cassado por quebra de decoro parlamentar, em 2017. 

Em 2022, o político se envolveu em uma confusão com o ex-deputado estadual por São Paulo Arthur do Val, conhecido como Mamãe Falei. Boca Aberta teria golpeado Do Val com socos e tapas após chamá-lo de “estuprador” e “vagabundo”. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo