Em NY, Bolsonaro encontrará com presidente ultraconservador da Polônia

Nos EUA para a Assembleia Geral da ONU, presidente brasileiro também falará com Boris Johnson e com o secretário-geral António Guterres

Foto: Alan Santos/Pr

Foto: Alan Santos/Pr

Mundo,Política

O presidente Jair Bolsonaro chegou no final da tarde de domingo 19 a Nova York. Antes da abertura da Assembleia Geral da ONU na próxima terça-feira 21, ele tem encontros bilaterais com dois líderes mundiais e com o secretário-geral das Nações Unidas.

O primeiro encontro acontece na manhã desta segunda-feira 20 com o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, na sede do Consulado-Geral do Reino Unido em Nova York.

Na terça-feira, antes de fazer o primeiro discurso na abertura do Debate Geral da 76ª sessão da Assembleia Geral, Bolsonaro se encontra com o secretário-geral da ONU, António Guterres e com o presidente da Polônia, Andrezej Duda. O líder ultraconservador polonês é um dos aliados do presidente brasileiro na Europa. Nenhuma outra reunião bilateral está prevista e o retorno a Brasília acontece na terça-feira à noite.

 

 

Bolsonaro tem sido muito criticado por líderes de potências ocidentais, como o presidente americano Joe Biden ou o francês Emmanuel Macron, por sua política ambiental. Segundo a imprensa brasileira, o presidente de extrema direita prometeu a apoiadores que iria em sua fala na ONU apresentar “a realidade do Brasil” e “verdades”.

As intervenções dos mais de 100 chefes de Estado e de governo previstos na Assembleia das Nações Unidas deste ano serão em formato híbrido. O foco dos debates será a reconstrução pós-pandemia, a sustentabilidade, os direitos fundamentais e a consolidação da organização. O tema da 76ª sessão é “Construindo resiliência por meio da esperança – para se recuperar da Covid-19, reconstruir de forma sustentável, responder às necessidades do planeta, respeitar os direitos das pessoas e revitalizar as Nações Unidas”.

Acordo nuclear iraniano

A Assembleia Geral da ONU é uma oportunidade para a realização de várias reuniões bilaterais entre líderes mundiais. O novo chefe da diplomacia iraniana vai aproveitar a viagem a Nova York para se encontrar com diplomatas alemães, chineses, franceses, britânicos e russos, representantes do grupo que negociou acordo do programa nuclear do país. O ministro das Relações Exteriores do Irã, Hosein Amir Abdollahian, chega à cidade nesta segunda-feira. Ele foi nomeado em agosto e esta será sua primeira viagem oficial aos Estados Unidos.

Uma eventual reunião com autoridades americanas não está marcada. Durante a administração Trump, os Estados Unidos se retiraram do acordo, firmado em 2015.

Outra reunião à margem da Assembleia da ONU que gera expectativa é o encontro entre os chanceleres da França e dos Estados Unidos. O americano Antony Blinken e o francês Jean-Yves Le Drian estarão em Nova York e devem se encontrar para tentar resolver a crise diplomática inédita entre os aliados históricos. A tensão começou depois que a Austrália desistiu de comprar submarinos convencionais franceses, em troca de modelos americanos a propulsão nuclear.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Rádio pública francesa que produz conteúdo em 18 línguas, inclusive português. Fundada em 1931, em Paris.

Compartilhar postagem