Política

Em nova pesquisa, Lula vence todos e Bolsonaro não ganha de ninguém no 2º turno

Moro aparece novamente em terceiro lugar, abrindo cinco pontos percentuais de diferença sobre Ciro Gomes

Apoie Siga-nos no

Em nova pesquisa da consultoria Quaest divulgada nesta quarta-feira 8, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) confirma o favoritismo nas intenções de voto para 2022 mesmo com a entrada do ex-juiz Sergio Moro (Podemos) ao ‘jogo’.  O petista lidera todos os cenários de primeiro turno, quando soma 46% das intenções de voto e vence todos os adversários nas simulações do segundo.

Moro, por sua vez, aparece novamente em terceiro lugar com 10%, superando o pedetista Ciro Gomes, que tem 5%. O ex-juiz, no entanto, ainda está longe de alcançar o segundo colocado, o presidente Jair Bolsonaro (PL), que aparece com 23%.

O ex-capitão já esteve em melhor momento. O péssimo desempenho na economia, assim como uma queda de popularidade registrada nos últimos meses, desidratou a sua votação nas últimas pesquisas. O mesmo cenário pode ser observado em simulações de outros institutos e consultorias.

Na Quaest desta semana foram medidas as intenções de votos em quatro cenários eleitorais de primeiro turno. Lula varia pouco em todos eles. Veja os números:

Cenário 1

  • Lula (PT) – 46%
  • Bolsonaro (PL) – 23%
  • Moro (Podemos) – 10%
  • Ciro (PDT) – 5%
  • João Doria (PSDB) – 2%
  • Rodrigo Pacheco (PSD) – 1%
  • Felipe D’avila (Novo) – 1%

Cenário 2

  • Lula (PT) – 47%
  • Bolsonaro (PL) – 24%
  • Moro (Podemos) – 11%
  • Ciro (PDT) – 7%

Cenário 3

  • Lula (PT) – 48%
  • Bolsonaro (PL) – 27%
  • Ciro (PDT) – 8%
  • Pacheco (PSD) – 2%

Cenário 4

  • Lula (PT) – 47%
  • Bolsonaro (PL) – 27%
  • Ciro (PDT) – 7%
  • Doria (PSDB) – 5%

Segundo turno

Na etapa final da eleição, Lula também confirma o favoritismo, variando de 53% a 58% das intenções de voto a depender do adversário.

Contra Bolsonaro, o petista teria 55%, enquanto o ex-capitão teria 31%; Contra Moro, Lula fica com 53% contra 29% do ex-juiz; Na disputa com Ciro, o ex-presidente fica com 54%, superando os 21% do pedetista; Já contra Doria, Lula marca 57% e o tucano apenas 14%; Pacheco tem um desempenho ainda pior: fica com apenas 13% contra 58% do petista.

Bolsonaro, por sua vez, não venceria ninguém em um segundo turno. Seu ex-ministro Moro superaria ele na disputa com 34% contra 31% do ex-capitão. Ciro se sairia um pouco melhor, superando Bolsonaro por 39% contra 34% do atual presidente.

A pesquisa Quaest foi realizada com base em 2.037 entrevistas presenciais entre os dias 2 e 5 de dezembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais e o índice de confiança é de 95%.

Getulio Xavier

Getulio Xavier
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , , , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.