Política

Operação Lava Jato

Em Curitiba, grupo pró-Lava Jato denuncia "os comunistas"

por René Ruschel, de Curitiba — publicado 10/05/2017 12h31, última modificação 10/05/2017 13h42
Na madrugada, acampamento de apoiadores de Lula na capital paranaense foi alvo de tiros de rojão
René Ruschel
Lava Jato

A favor da Lava Jato, contra o "comunismo"

O grupo de manifestantes que apoia a Operação Lava Jato está concentrado próximo ao Centro Cívico, em Curitiba, ao lado do Museu Oscar Niemeyer. Até o meio dia o movimento era pequeno. Menos de 50 pessoas gritavam palavras de ordem na calçada e pediam a presença do público ao ato. Os moradores não pareciam motivados. O que se ouve são buzinas de carro e alguns acenos.

O discurso é crítico ao ex-presidente Lula e ao PT. Apoiam o juiz Sérgio Moro e atribuem à Central Única dos Trabalhadores o sucesso do movimento de apoio a Lula. “Esses vermelhos, comunistas, vieram a Curitiba com o dinheiro da CUT” gritam nos microfones. Alertam a população para os perigos de sair à rua, principalmente na área central da cidade que deverá ser totalmente tomada pelos simpatizantes do ex-presidente.

A situação na capital paranaense é tranquila. Os grupos estão divididos e o aparato policial ronda toda a região. Nesta quarta, Lula presta depoimento ao juiz Sérgio Moro. Essa área permanece totalmente isolada.

No sábado 6, Moro gravou um vídeo e distribuiu pelas redes sociais pedindo para os apoiadores da Lava Jato não comparecerem a Curitiba, com o intuito de evitar confrontos. Segundo Moro, nada de anormal vai acontecer. "O apoio sempre foi importante, mas nessa data ele não é necessário". O vídeo ajudou a desmobilizar os grupos de apoiadores da operação.

Ataque com rojão

Pela manhã, cerca de 100 ônibus permaneciam parados a entrada de Curitiba. A Polícia Rodoviária Federal fez uma espécie de operação pente fino durante toda a madrugada, o que atrasou a chegada de centenas de manifestantes.

Na madrugada, o acampamento onde estão instaladas as caravanas foi alvo de tiros de rojão. Três pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas ao hospital. Pelas ruas, o número de policias e viaturas. Helicópteros sobrevoam a cidade. Após o depoimento, Lula deve seguir para a Boca Maldita, centro de Curitiba, onde estarão reunidos os manifestantes apoiadores.