Eleições 2020: Candidatas mulheres são recorde e negros são maioria

A cota eleitoral racial ainda depende de confirmação pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), o que deve ocorrer nesta semana

Créditos: EBC

Créditos: EBC

Política

O número de candidaturas de postulantes do sexo feminino para as eleições municipais é um recorde, segundo levantamento do Tribunal Superior Eleitoral. Pela primeira vez na história também é maior o número de candidatos autodeclarados negros (pretos ou pardos) em relação aos que se identificam como brancos.

Os 523 mil pedidos computados até agora já representam 45 mil a mais do total de 2016 e cerca de 80% do que o tribunal espera receber este ano, com base nas convenções partidárias —cerca de 645 mil postulantes.

Até o final da manhã deste domingo 27, o percentual de candidatas mulheres era de 34%, 176 mil concorrentes. Esse índice não passou de 32% nas últimas três eleições. Pelas regras atuais, os partidos devem reservar ao menos 30% das vagas de candidatos e da verba pública de campanha para elas.

Os autodeclarados pretos e pardos somavam 51% dos candidatos (263 mil) contra 48% dos brancos (248 mil). Entre os negros, 208 mil se declaravam pardos e 55 mil, pretos.

A cota eleitoral racial ainda depende de confirmação pelo plenário do STF (Supremo Tribunal Federal), o que deve ocorrer nesta semana.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem