Edmilson Rodrigues (PSOL) derrota Delegado Eguchi (Patriota) e é o novo prefeito de Belém

Candidato do PSOL teve 51,76% dos votos válidos, ante 48,24% do postulante do Patriota

Edmilson Rodrigues, prefeito eleito de Belém. Foto: Márcio Ferreira/Divulgação

Edmilson Rodrigues, prefeito eleito de Belém. Foto: Márcio Ferreira/Divulgação

Política

Edmilson Rodrigues (PSOL) é o novo prefeito de Belém (PA). Com 99,96% das urnas apuradas, ele foi eleito neste domingo 29, com 51,76% dos votos válidos, derrotando o candidato Delegado Eguchi (Patriota), que teve 48,24%. Pesquisa Ibope divulgada na véspera do 2º turno apontava uma vitória de Edmilson por 58% a 42%.

 

 

A carreira política de Edmilson Rodrigues teve início no PT. Em 1986, ele foi eleito deputado estadual no Pará, cargo para o qual foi reconduzido quatro anos depois. Em 1996, ainda pelo PT, tornou-se prefeito de Belém, sendo reeleito no pleito de 2000.

Em 2005, Edmilson se desfiliou do PT e passou a integrar o PSOL. Pelo novo partido, foi o deputado estadual mais votado do Pará em 2010. Quatro anos depois, chegou à Câmara dos Deputados como o terceiro mais votado no estado. Ele foi reeleito para o mandato parlamentar em 2018.

O plano de governo de Edmilson Costa se divide em seis eixos principais: 1) Gestão Democrática e Participativa; 2) Políticas Urbanas e Ambientais; 3) Economia Inovadora para a Vida e Cidadania; 4) Políticas Sociais e Segurança Cidadã; 5) Cidadania Cultural e Comunicação; 6) Belém Cidade Diversa e Inclusiva.

“Um governo pode reconhecer e estimular as formas de organização existentes e criar formas novas de participação junto com quem o elegeu, discutir e decidir sobre o que deve ser feito para a garantia de direitos, incluindo o direito à participação como uma dinâmica de planejamento, elaborar planos, projetos e ações em todo o território municipal e todos os temas que estruturam a vida, como saúde, educação, saneamento básico, meio ambiente, patrimônio, mobilidade, trabalho e renda e diversidade como controle por todos os segmentos sociais envolvidos. Tudo isso é possível respeitando a Constituição Federal e inovando a partir de cada lugar, mesmo a participação tendo perdido força nos últimos anos e Belém padeça de um governo ausente do debate público com os cidadãos”, diz o plano de governo do psolista.

Edmilson Rodrigues derrotou no segundo tempo o Delegado Eguchi. O candidato do Patriota recebeu expresso apoio do presidente Jair Bolsonaro. “Caso fosse eleitor em Belém/PA, certamente votaria”, respondeu o presidente no Facebook a um eleitor que defendia o nome de Eguchi. “Boa sorte para ele”, complementou, no dia 17 de novembro.

No dia 25 de novembro, em entrevista à Folha de S.Paulo, Eguchi, tentou se descolar parcialmente do apoio de Bolsonaro. Questionado pelo jornal se o mau desempenho dos candidatos apoiados pelo presidente o preocupava, ele respondeu: “Não, porque eu não sou candidato dele. Sou o candidato do Patriota alinhado às ideias dele. Inclusive, nem o apoio dele eu tive, formal. Ele fez um comentário de “se tivesse em Belém”, mas isso não quer dizer que eu seja o candidato dele. Eu tenho ideias, propostas similares às propostas dele, que também são as mesmas dos conservadores”.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem