…

Edir Macedo publica razões para não votar em Haddad

Política

O bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, publicou nesta quarta-feira 3, em seu blog, cinco razões para não votar no candidato petista a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e cinco para votar em Celso Russomanno (PRB). Parte da cúpula do partido de Russomanno é ligada à Universal, dona da TV Record, onde o candidato atuava como apresentador de um programa sobre direito do consumidor.

O texto é atribuído ao um leitor do blog que se identifica apenas como um “professor”. A primeira razão listada por ele, e reproduzida pelo bispo, para não votar em Haddad é o fato de o ex-ministro da Educação ter tentado, em sua gestão, “obrigar as escolas a distribuir uma publicação que defende a homossexualidade, que estimula nossas crianças a viverem em pecado, que rasga tudo o que conseguimos transferir de valores e verdade aos nossos filhos”.

Era uma referência ao chamado “kit gay”, uma cartilha encomendada pelo governo federal que deveria orientar professores a identificar e combater perseguições movidas pela orientação sexual do aluno na sala de aula.

Outro argumento são as falhas registradas durante a aplicação do Enem, o exame nacional do ensino médio, durante a gestão Haddad no ministério. Segundo o autor, o hoje candidato, em vez de assumir a culpa pelos problemas, “transferiu a responsabilidade que era dele (…) como se não fosse capaz de assumir seus próprios erros”. E completa: “Errar é humano, sr. Haddad, e Deus sabe perdoar aqueles que cometem seus deslizes. (…) O que não se pode, candidato, é dizer-se infalível, pois essa característica é exclusiva de nosso Deus”.

Um outro motivo é o fato de “companheiros” de partido de Haddad serem réus do chamado “menslão”.

“O sr. Haddad não tem compromisso com a verdade, não é um homem de fé, não respeita minimamente os valores essenciais à vida de quem escolheu o Senhor Jesus como guia. Por isso não tem o meu voto e não pode ser prefeito de São Paulo”, escreveu.

O texto republicado no blog de Edir Macedo aponta, por outro lado, as razões para votar em Russomanno. Um deles é o fato de o PRB ter em seus cargos de direção “verdadeiros homens de Deus”. Outro ponto foi que o candidato já foi deputado federal em quatro mandatos consecutivos e não possuir “a marca da inexperiência desastrosa do sr. Haddad ou a fome pelo poder de Serra”.

A tolerância d candidato, que “não é evangélico” mas demonstra respeito pelos evangélicos, é outro motivo citado pelo autor.

“É assim que ensinaremos tolerância aos nossos filhos e netos e não com um punhado de imoralidades impressas em um kit como quer e irá fazer o sr. Fernando Haddad”, finaliza o texto reproduzido pelo homem-forte da Igreja Universal.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem
…

Edir Macedo publica razões para não votar em Haddad

Política

O bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, publicou nesta quarta-feira 3, em seu blog, cinco razões para não votar no candidato petista a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e cinco para votar em Celso Russomanno (PRB). Parte da cúpula do partido de Russomanno é ligada à Universal, dona da TV Record, onde o candidato atuava como apresentador de um programa sobre direito do consumidor.

O texto é atribuído ao um leitor do blog que se identifica apenas como um “professor”. A primeira razão listada por ele, e reproduzida pelo bispo, para não votar em Haddad é o fato de o ex-ministro da Educação ter tentado, em sua gestão, “obrigar as escolas a distribuir uma publicação que defende a homossexualidade, que estimula nossas crianças a viverem em pecado, que rasga tudo o que conseguimos transferir de valores e verdade aos nossos filhos”.

Era uma referência ao chamado “kit gay”, uma cartilha encomendada pelo governo federal que deveria orientar professores a identificar e combater perseguições movidas pela orientação sexual do aluno na sala de aula.

Outro argumento são as falhas registradas durante a aplicação do Enem, o exame nacional do ensino médio, durante a gestão Haddad no ministério. Segundo o autor, o hoje candidato, em vez de assumir a culpa pelos problemas, “transferiu a responsabilidade que era dele (…) como se não fosse capaz de assumir seus próprios erros”. E completa: “Errar é humano, sr. Haddad, e Deus sabe perdoar aqueles que cometem seus deslizes. (…) O que não se pode, candidato, é dizer-se infalível, pois essa característica é exclusiva de nosso Deus”.

Um outro motivo é o fato de “companheiros” de partido de Haddad serem réus do chamado “menslão”.

“O sr. Haddad não tem compromisso com a verdade, não é um homem de fé, não respeita minimamente os valores essenciais à vida de quem escolheu o Senhor Jesus como guia. Por isso não tem o meu voto e não pode ser prefeito de São Paulo”, escreveu.

O texto republicado no blog de Edir Macedo aponta, por outro lado, as razões para votar em Russomanno. Um deles é o fato de o PRB ter em seus cargos de direção “verdadeiros homens de Deus”. Outro ponto foi que o candidato já foi deputado federal em quatro mandatos consecutivos e não possuir “a marca da inexperiência desastrosa do sr. Haddad ou a fome pelo poder de Serra”.

A tolerância d candidato, que “não é evangélico” mas demonstra respeito pelos evangélicos, é outro motivo citado pelo autor.

“É assim que ensinaremos tolerância aos nossos filhos e netos e não com um punhado de imoralidades impressas em um kit como quer e irá fazer o sr. Fernando Haddad”, finaliza o texto reproduzido pelo homem-forte da Igreja Universal.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem