Política

Dr. Furlan lidera a disputa pela prefeitura de Macapá, diz Paraná Pesquisas

Político do MDB é o atual prefeito da capital do Amapá e, segundo o levantamento, venceria com folga qualquer adversário

Dr. Furlan, prefeito de Macapá Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

O atual prefeito de Macapá, Dr. Furlan (MDB), tem larga vantagem na disputa eleitoral na cidade. A conclusão está em um novo levantamento do instituto Paraná Pesquisas, divulgado na tarde de quinta-feira 23.

O político, que já comanda a capital do Amapá, busca reeleição e tem, neste momento, 74,3% das intenções de voto. O segundo colocado, Josiel Alcolumbre (União), tem apenas 5% da preferência dos eleitores da capital.

Josiel, como o sobrenome sugere, é irmão do senador Davi Alcolumbre (União) e disputou o 2º turno contra Furlan, em 2020. Naquela ocasião, ele teve 44% dos votos. O vencedor, por sua vez, somou 55,7%.

A pesquisa desta quinta, vale frisar, monitorou um único cenário de disputa. Além de Alcolumbre e Furlan, o levantamento traz os seguintes nomes:

  • Paulo Lemos (PSOL) – 2,9%
  • Aline Gurgel (Republicanos) – 1,8%
  • Jesus Pontes (PDT) – 0,8%
  • Gilvam Borges (sem partido) – 0,6%
  • Patricia Ferraz (PSDB) – 0,6%

Há, ainda no levantamento, 6,3% de indecisos e 7,9% que apontam voto em branco ou nulo na próxima eleição.

Aprovação do prefeito

A larga vantagem de Dr. Furlan na disputa, indica a pesquisa, pode ser explicada pela alta aprovação do seu mandato.

Ao todo, 86,3% dos eleitores de Macapá aprovam o trabalho do emedebista. Só 11,4% desaprovam a atual gestão da capital. Outros 2,4% não souberam ou optaram por não responder.

Na avaliação, Dr. Furlan tem 80,2% de indicações positivas (ótimo ou bom) e 8,4% de avaliações negativas (ruim ou péssimo). A classificação regular é feita por 9,5%.

Quando comparado ao último levantamento do instituto na capital do estado, os números favoráveis ao atual prefeito saltaram significativamente. Veja o comparativo:

A pesquisa desta quinta contou com 800 entrevistas pessoais entre os dias 17 e 22 de maio. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo