Doria comemora Reforma da Previdência e diz que servidores agrediram policiais

Governador declarou ser um dia 'histórico' para São Paulo e parabenizou os deputados que votaram a favor da proposta

O governador do estado de São Paulo, João Dória. Foto: Charles Sholl/Brazil Photo Press

O governador do estado de São Paulo, João Dória. Foto: Charles Sholl/Brazil Photo Press

Política

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, foi às suas redes sociais nesta terça-feira 3, parabenizar a aprovação da Reforma da Previdência. “Dia histórico para São Paulo. A Reforma da Previdência foi aprovada na ALESP por 59 votos. Parabéns aos deputados que aprovaram essa medida que iguala as regras dos servidores públicos do Estado aos servidores federais.”

A votação em segundo turno na Assembleia Legislativa do Estado aconteceu a portas fechadas, sem a participação dos servidores, e ainda foi marcada por intensa repressão da Tropa de Choque contra os servidores. Sem comentar o caso, o governador se limitou a dizer: “Não posso deixar de registrar meu repúdio aos atos de vandalismo presenciados durante a votação, dentro e fora da Alesp. Depredação do patrimônio público, intimidação aos parlamentares, agressão a policiais e desrespeito à democracia.”

O texto da Reforma foi aprovado em segundo turno no início desta tarde com 59 votos. Agora os deputados devem votar destaques à proposta.

A reforma da Previdência prevê as seguintes alterações aos servidores públicos:

  • Exigência do tempo mínimo de contribuição de 25 anos no caso de aposentadoria voluntária
  • Aumento da alíquota de contribuição de 11% para 14%, tanto para ativos quanto inativos e pensionistas
  • Idade mínima para as aposentadorias comuns: 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens
  • Professores, policiais civis, agentes de vigilância e de escolta penitenciários, e servidores que tenham condições especiais ou com deficiência terão regras diferenciadas.
Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem