Deputado pede que Bolsonaro crie secretaria de “Desesquerdização”

Heitor Freire argumenta que, apesar dos expurgos, ainda há servidores

Deputado pede que Bolsonaro crie secretaria de “Desesquerdização”

Política

O deputado federal Heitor Freire (PSL-CE), apresentou uma inusitada indicação ao presidente Jair Bolsonaro. Freire sugere que o presidente crie um gabinete especializado no expurgo de funcionários não alinhados à ideologia bolsonarista. O nome? Secretaria Especial de Desesquerdização da Administração Pública Federal.

Freire argumenta que, embora o PSL tenha assumido a máquina pública, ainda há servidores “infiltrados” que, embora tenham “mudado o discurso” atuam para “boicotar o governo por dentro”. E se ofereceu para assumir a chefia da pasta.

A tarefa da tal secretaria, nas palavras do deputado, é fazer “amplo controle, fiscalização, identificação, mapeamento, monitoramento (…) de todo aquele agente de esquerda que atue de forma oculta e que continue trazendo danos diretos e indiretos para a sanidade desta nação.”

“Embora importantíssima, a nossa vitória, por si só, não foi suficiente para expurgar de forma imediata os agentes da esquerda infiltrados na Administração Pública”, anotou no pedido.

Leia também: MEC anuncia pastora evangélica como braço direito de Vélez

A indicação foi protocolada na quarta-feira 13 na Câmara dos Deputados. No mesmo dia, o presidente anunciou no Twitter a extinção 21 mil cargos comissionados. A mesa diretora encaminhou a ideia para o plenário.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem