Política

Datafolha: rejeição a Bolsonaro é maior entre mulheres

No grupo feminino, 60% entre quem é da classe mais baixa não vota no presidente, enquanto nas duas classes mais altas esse percentual fica em 56%

Bolsonaro e Michelle, que luta - sem sucesso - para reverter a rejeição do ex-capitão entre as mulheres.

Foto: Alan Santos/PR
Bolsonaro e Michelle, que luta - sem sucesso - para reverter a rejeição do ex-capitão entre as mulheres. Foto: Alan Santos/PR
Apoie Siga-nos no

A intenção de voto em Jair Bolsonaro (PL) é menor entre mulheres, se comparada aos homens, independentemente do poder aquisitivo, segundo dados da pesquisa Datafolha realizada entre os últimos dias 25 e 26. Foram entrevistados 2.556 eleitores acima dos 16 anos em 181 cidades.

No grupo feminino, as porcentagens de rejeição a Bolsonaro são de 60% para a classe mais baixa e de 56% para as duas classes mais altas. Já com relação ao grupo masculino, a diferença entre classes é mais acentuada, de forma que 59% têm rejeição a ele entre quem recebe até dois salários mínimos, e 43% entre cinco salários ou mais. E com relação ao apoio, 29% das mulheres com renda superior a cinco salários mínimos votam no presidente no primeiro turno, enquanto o percentual masculino fica em 44%. Mas entre quem recebe até dois salários mínimos, há um empate técnico: 21% (homens) e 20% (mulheres).

Considerando o segundo turno, Bolsonaro têm intenção de voto de 26% dos homens e de 24% das mulheres entre quem ganha até dois salários mínimos. Já entre quem recebe cinco salários, os porcentuais ficam em 44% e 35%, respectivamente, e para mais de cinco salários, 50% e 36%.

Por outro lado, o candidato que aparece com maior preferência entre as mulheres, independentemente da classe social, é Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Entre quem recebe dois salários mínimos ou menos, 54% optam por ele. Com relação aos homens, os de classe mais baixa também têm essa preferência, ficando em 59%. Já no grupo com renda superior a cinco salários, a intenção de voto em Lula é vista em 41% das mulheres, e em 32% dos homens.

Nos três níveis de renda considerados, a rejeição a Lula aparece para 23% dos homens no mais baixo, passando para 44% no médio e indo para 56% no mais alto. Já para as mulheres, os percentuais ficam em 25%, 37% e 41%, respectivamente.

 

Agência O Globo

Agência O Globo
Agência de notícias e de fotojornalismo do Grupo Globo.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.