Datafolha em SP: Covas amplia liderança e Boulos ultrapassa Russomanno

Candidato do Republicanos tem a maior rejeição entre todos os candidatos

Fotos: Divulgação

Fotos: Divulgação

Política

Eleições 2020: Levantamento Datafolha  divulgado no fim da noite desta quarta-feira 11 indica o crescimento do prefeito e candidato à reeleição em São Paulo, Bruno Covas (PSDB), que tem 32% das intenções de voto. Na pesquisa anterior, divulgada em 5 de novembro, ele tinha 28%.

 

 

Pela primeira vez a partir de dados do instituto, Guilherme Boulos (PSOL), com 16% das intenções, aparece numericamente à frente de Celso Russomanno (Republicanos), que tem 14%. No levantamento anterior, Russomanno tinha 16%, contra 14% de Boulos.

Em quarto lugar, Márcio França (PSB) apresentou oscilação de 13% para 12%. Jilmar Tatto (PT) foi de 6% para 4%, mesmo resultado de Arthur do Val (Patriota), que manteve o índice da última pesquisa. A seguir, aparecem Joice Hasselmann (PSL), com 3%; Andrea Matarazzo (PSD), com 2%; e Marina Helou (Rede) e Vera Lúcia (PSTU), com 1%.

Orlando Silva (PCdoB), Levy Fidelix (PRTB) e Antônio Carlos (PCO) não pontuaram. Brancos e nulos somam 7%. 3% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder.

 

Simulações

Russomanno segue como o candidato com maior índice de rejeição. 49% dos entrevistados disseram que não votariam nele de jeito nenhum. Na sequência, constam: Joice Hasselmann, com 32%; Bruno Covas, com 24%; e Jilmar Tatto e Guilherme Boulos, com 23%.

O Datafolha também projetou cenários para o segundo turno das eleições em São Paulo. Covas vence todos os adversários considerados pelo instituto: contra Russomanno, 59% x 25%; contra Boulos, 56% x 30%; e contra França, 53% x 34%.

O Datafolha ouviu 1.512 eleitores na cidade de São Paulo entre os dias 9 e 10 de novembro.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Editor do site de CartaCapital. Twitter: leomiazzo

Compartilhar postagem