Política

Opinião Pública

CUT/Vox Populi: Popularidade de Temer evapora

por Redação — publicado 13/04/2017 00h15, última modificação 12/04/2017 13h02
Só 5% dos entrevistados consideram ótimo ou bom o desempenho do peemedebista na presidência, aponta pesquisa. Para 51%, piorou o combate à corrupção
Yasuyoshi Chiba/AFP
Michel Temer

A situação não anda fácil para Temer

A popularidade de Michel Temer não para de cair, aponta uma nova rodada da pesquisa do instituto Vox Populi encomendada pela Central Única dos Trabalhadores. Segundo o levantamento realizado entre 6 e 10 de abril, apenas 5% dos entrevistados consideram o desempenho do presidente ótimo ou bom. Esse percentual era de 8% em dezembro do ano passado e de 14% em outubro.

No outro extremo, 65% classificaram a atuação de Temer como ruim ou péssima. A deterioração da imagem do peemedebista impressiona. Em outubro passado, em sua melhor fase, o presidente era reprovado por 34%.

 

A maior rejeição a Temer foi registrada no Nordeste (78%), a menor, no Centro-Oeste (57%).

Nem Dilma Rousseff no auge de sua impopularidade e às vésperas do impeachment foi tão mal avaliada. Os índices de ótimo e bom atribuídos à presidenta em sua pior fase oscilaram de 13% a 10% em diferentes pesquisas. Em único levantamento o apoio ficou em um dígito: 9% em uma enquete do Ibope.

A pesquisa CUT/Vox Populi aponta ainda uma leve piora na percepção dos brasileiros sobre o combate à corrupção. Para 51%, ele está pior com Temer na presidência da República. Em dezembro, essa era a opinião de 49% dos entrevistados.

 Inflação e desemprego

A pesquisa registra uma pequena melhora das expectativas em relação à inflação e ao aumento do desemprego. No caso dos preços, 63% apostam que eles vão continuar a subir (eram 71% em dezembro).

Quanto ao fechamento de postos de trabalhos, recuou de 70% para 65% o percentual daqueles que acreditam em uma aceleração das demissões nos próximos seis meses.

A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Foram 2 mil entrevistas em 118 cidades.