Cresce desaprovação na maneira de governar de Bolsonaro, diz pesquisa

Índice bateu 49% entre os entrevistados. Área de segurança pública teve maior aumento de desaprovação, indica Ibope

 Foto: EVARISTO SA / AFP

Foto: EVARISTO SA / AFP

Política

A desaprovação na maneira de governar do presidente Jair Bolsonaro cresceu e atingiu 49% na última pesquisa CNI-IBOPE, divulgada nesta quarta-feira 16.

Na pesquisa anterior, realizada em setembro, o índice estava em 45%. Já o percentual que aprova as condutas de Bolsonaro foi de 50% para 46%.

A pesquisa também revela que o percentual de brasileiros que avaliam o governo como ruim ou péssimo cresceu timidamente, ainda no limite da margem de erro (4 pontos percentuais), de 29% para 33%.

Também não foram amplamente favoráveis os resultados sobre a confiança no presidente: 53% disseram não confiar em Bolsonaro, enquanto 44% pensam ao contrário.

De maneira geral, as diferenças entre os que aprovam ou não o governo foram mínimas, o que configura um empate técnico entre quem julga o governo como ótimo/bom (35%), ruim/péssimo (33%) e regular (30%). Neste cenário, destaca-se a queda de cinco pontos percentuais das avaliações mais positivas, conforme mostra o gráfico abaixo.

 

 

(Foto: Reprodução/CNI-IBOPE)

 

Houve também avaliação de nove áreas de atuação. A área de Segurança Pública registra a maior queda no percentual de aprovação, com recuo de 7 pontos, seguida da Saúde, Taxa de Juros e Combate à Inflação.

Em relação às regiões do País, Sudeste e Nordeste reuniram a maior parcela descontente com o presidente. Para 36% e 34% das respectivas populações, o governo está sendo ruim ou péssimo.

Veja a pesquisa na íntegra.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem