CPI marca votação do relatório final para 20 de outubro

Nesta quinta, a CPI coleta o depoimento do empresário Otávio Oscar Fakhoury, suspeito de financiar a disseminação de fake news

Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Omar Aziz (PSD-AM) e Humberto Costa (PT-PE), que integram o G7 da CPI.

Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Omar Aziz (PSD-AM) e Humberto Costa (PT-PE), que integram o G7 da CPI. Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Política

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid Omar Aziz (PSD-AM), marcou a votação do relatório final da investigação para 20 de outubro. O cronograma foi anunciado no início da reunião desta quinta-feira 30. O parecer do relator, Renan Calheiros (MDB-AL), deve enquadrar o presidente Jair Bolsonaro e integrantes do governo por atos e omissões na pandemia do novo coronavírus.

Nesta quinta, a CPI coleta o depoimento do empresário Otávio Oscar Fakhoury, suspeito de financiar a disseminação de fake news durante a pandemia. Ele também é investigado no inquérito das Fake News, conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal (STF).

 

Até a conclusão do relatório, a cúpula da CPI planeja ouvir mais um representante da VTC Log, empresa de logística suspeita de operar um esquema de corrupção com o Ministério da Saúde, um médico da Prevent Senior, empresa que teria realizado um experimento usando medicamentos sem eficácia com pacientes de covid, e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

“Esse é o nosso cronograma de encerramento de trabalhos, só (mudará) se houver um fato muito grave relevante do ponto de vista novo, não daquilo que a gente vem tratando”, disse o presidente da CPI. O relator concordou com o cronograma e pretende apresentar o parecer até o dia 19, para ser lido e votado pelos integrantes da comissão no dia seguinte.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem