Covereadora do PSOL Carolina Iara é vítima de atentado em São Paulo

Dois tiros foram disparados contra a casa da parlamentar. Bancada Feminista fala em crime político

Créditos: Reprodução Instagram

Créditos: Reprodução Instagram

Política

A covereadora em São Paulo Carolina Iara (PSOL) foi vítima de um atentado na madrugada da terça-feira 26. Ao menos dois tiros foram disparados contra a casa da parlamentar, na Zona Leste da capital, segundo informações da Bancada Feminista. Um dos projéteis ficou alojado nas paredes e outro, no muro.

 

 

 

Iara estava em casa junto à mãe e o irmão no momento do atentado, mas nenhum dos três foi atingido. Por questões de segurança, a parlamentar deixou a residência.

Imagens obtidas por uma câmera de segurança mostram um carro branco com vidros escuros parado na frente da casa da covereadora por aproximadamente 3 minutos, entre às 2h07 e 2h10. Vizinhos confirmam que ouviram o sim dos disparos por volta desse horário.

Primeira covereadora intersexo eleita no país, Carolina Iara é negra, trans e vive com o HIV.

 

 

A parlamentar registrará um boletim de ocorrência às 15h30 desta quarta-feira 27 na Delegacia de Proteção à Pessoa, na rua Brigadeiro Tobias, 527. Parlamentares e lideranças de movimentos sociais também estarão presentes.

A Bancada Feminista do PSOL acredita em um crime político. Ainda de acordo com o grupo, a covereadora não chegou a relatar ameaças anteriores, apesar de conviver com a hostilização nas redes sociais.

Em um comunicado, o grupo pede ainda que movimentos sociais e parlamentares enviem representantes para a delegacia para exigir investigação. “Não podemos permitir que ao ocupar espaço de poder as mulheres pretas, travestis sejam silenciadas com violência”.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site CartaEducação

Compartilhar postagem