…

Ciro Gomes: “Não é mais possível para mim andar com o PT na política”

Política

Ciro Gomes elevou o tom das críticas ao PT. Em entrevista por telefone à Rádio Gaúcha, do Rio Grande Sul, o presidenciável afirmou de maneira peremptória que não pretende apoiar Fernando Haddad no segundo turno caso o petista passe para a próxima fase da eleição. O PT, disse, tornou-se uma organização odienta de poder e tem o espírito de escorpião, por não apoiar ninguém e só desejar que os outros o apoiem.

“O PT contou comigo ao longo dos últimos 16 anos. Na medida em que eles se juntam com o Renan Calheiros, que presidiu o Senado no impeachment que eles chamam de golpe, que estão juntos no Ceará com o Eunício Oliveira, não é mais possível, para mim, andar com eles na política”.

Leia também:
Após prisão, candidatura de Beto Richa ao Senado derrete
Bolsonaro foi acusado por ex-mulher de ocultar bens em 2006 e furtar cofre

Ciro reafirmou seu apreço por Haddad, um “amigo”, mas negou que o tenha convidado para ser seu vice e repetiu que o PT “tem feito muito mal ao Brasil de um tempo para cá”. Acrescentou que nunca aceitaria participar, como candidato à vice, da “farsa” eleitoral montada por Lula.

O pedetista considera possível disputar um segundo turno contra Haddad (“sou o único capaz de vencer os petistas sem ódio”) e garantiu que esta será a última eleição presidencial que pretende disputar.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem