Bolsonaro recua em recontratar assessor que usou avião da FAB

Vicente Santini utilizou avião da FAB como jato particular e havia sido recontratado 24 horas depois de sua demissão

Bolsonaro e  Vicente Santini. Foto: Alan Santos/PR

Bolsonaro e Vicente Santini. Foto: Alan Santos/PR

Política

O presidente Jair Bolsonaro anunciou, na manhã desta quinta-feira 30, que tornará sem efeito a recontratação de Vicente Santini na Casa Civil. O assessor especial  havia sido demitido por usar avião da FAB como jato particular para ir a Davos e depois à Índia, mas foi recontratado no dia seguinte para o mesmo ministério, a pedido dos filhos do presidente.

Bolsonaro anunciou também que passará o PPI, o plano de concessões e privatizações, da Casa Civil para o Ministério da Economia. Isso é visto como uma penalidade a  Onyx Lorenzoni, quem ele “culpa” pela recontratação de Santini.

O PPI já havia sido um prêmio de consolação para Onyx quando ele perdeu a articulação política do governo.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem