Política

Bolsonaro quer subsidiar energia elétrica para igrejas

Proposta, no entanto, encontrou dificuldades no Ministério da Economia, que não é favorável aos subsídios para o setor

O presidente Jair Bolsonaro parece disposto a contrariar sua equipe econômica para garantir o apoio de uma importante base eleitoral: a dos evangélicos. De acordo com uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo divulgada nesta sexta-feira 10, Bolsonaro quer subsidiar a conta de energia elétrica de grandes templos religiosos.

O processo, segundo a reportagem, já passou pelo Ministério de Minas e Energia, que elaborou uma minuta de decreto presidencial para análise. No entanto, quando chegou no Ministério da Economia, o projeto enfrentou resistência.

O governo quer tarifas as igrejas com um valor mais barato nos horários “mais caros”, ou seja, no período noturno. A maior parte dos cultos e demais celebrações religiosas dos templos ocorre no período noturno. Quem custearia a diferença entre os valores, no entanto, seria a população no geral. Os estudos acerca dos valores ainda não foram divulgados.

 

A medida deve enfrentar dificuldades ao passar pelo Ministério da Economia, já que os subsídios vão no sentido contrário de políticas de austeridade adotadas por Paulo Guedes. Isso porque o setor energético é considerado estratégico para atrair investimentos, e mais insumos em cima das contas poderiam afastar os investidores.

O tópico, inclusive, já estaria na mira do Tribunal de Contas da União (TCU), e integrantes do governo poderiam ser multados caso o projeto seja apresentado via decreto, conforme as intenções do presidente. Ainda sob análise e silêncio por parte do governo, o projeto segue como uma primeira possibilidade de enfrentamento entre Bolsonaro e Guedes em 2020.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!