Política

Bolsonaro para de crescer, Lula lidera e vence todos no segundo turno, diz Ipespe

Presidente recuou 2 pontos percentuais em relação à última pesquisa, realizada no início do mês

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL). Fotos: Ricardo Stuckert e Evaristo Sá/AFP
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL). Fotos: Ricardo Stuckert e Evaristo Sá/AFP
Apoie Siga-nos no

A mais nova pesquisa Ipespe, divulgada nesta sexta-feira 25, mostra que o ex-presidente Lula (PT) segue isolado na liderança da corrida eleitoral. De acordo com o levantamento, o petista tem 44% das intenções de voto, superando o presidente Jair Bolsonaro (PL), que somou apenas 26% e figura em segundo lugar.

O resultado desta sexta-feira também revela uma interrupção no crescimento das intenções de voto em Bolsonaro, que recuou 2 pontos percentuais em relação à última pesquisa, realizada no início do mês. A oscilação está dentro da margem de erro, que é de 3,2 pontos percentuais, mas interrompe uma sequência de crescimento que vinha sendo registrado desde janeiro pelo atual presidente. Naquele mês, Bolsonaro tinha 24% da preferência do eleitorado.

Sergio Moro (Podemos) novamente aparece em terceiro lugar, com 9%. Com o resultado, o ex-juiz empata tecnicamente com Ciro Gomes (PDT), que tem 7%. A pesquisa ainda mostra uma pequena oscilação de João Doria (PSDB), que foi de 3% para 2%.

Simone Tebet (MDB), Eduardo Leite (PSDB) e André Janones (Avante) marcam os mesmos 1% que tinham no último levantamento. Felipe D’avila (Novo), que não pontuava, agora aparece com 1%.

Os resultados são da pesquisa estimulada do instituto. Na espontânea, os índices se mantiveram estáveis. Neste caso, Lula segue com 36%; Bolsonaro, que tinha 26%, agora soma 25%; e todos os demais candidatos somariam 10%, sendo 5% de Moro, 4% de Ciro e 1% de Doria.

Segundo turno

Nos cenários de segundo turno monitorados pelo Ipespe, Lula venceria todos os adversários por uma diferença superior a 20 pontos percentuais. Em todos os casos, o petista mantém um patamar superior a 50% das indicações de voto. Bolsonaro, por sua vez, só venceria Eduardo Leite. Veja os resultados:

Os índices para os cenários de segundo turno divulgados nesta sexta-feira também confirmam a interrupção do crescimento de Bolsonaro. A diferença entre os dois candidatos voltou a superar 20 pontos percentuais. Em janeiro deste ano, Lula somava 56% das intenções de voto e Bolsonaro 31% (saldo de 25 pontos), mas com a recuperação de Bolsonaro, o saldo chegou a 20 pontos no início deste mês. Nesta sexta, a diferença entre os adversários é de 23 pontos percentuais.

Para chegar aos resultados, o instituto Ipespe entrevistou mil eleitores de todo o Brasil por telefone. A pesquisa foi realizada entre os dias 21 a 23 de março e tem margem de erro de 3,2 pontos percentuais. O nível de confiança é de 95,5%.

Getulio Xavier

Getulio Xavier
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , , , , , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.