Política

Bolsonaro lamenta dificuldades em privatizar os Correios

Presidente disse que não quer prejudicar servidores com processo de desestatização

O presidente Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR)
O presidente Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR)
Apoie Siga-nos no

O presidente Jair Bolsonaro relatou dificuldades em privatizar empresas públicas, como a companhia de serviços de entrega Correios. Em declaração nesta terça-feira 7, no Palácio do Alvorada, em Brasília, Bolsonaro afirmou que, se pudesse, já teria privatizado os Correios.

“A gente pretende [privatizar]. Se eu pudesse privatizar hoje, privatizaria, mas eu não posso prejudicar o servidor dos Correios”, afirmou. “Vocês sabem, o Supremo Tribunal Federal decidiu que as empresas-mães, a privatização tem que passar pelo parlamento. E você mexe nas privatizações com dezenas de milhares de servidores. É um passivo grande, você tem que buscar solução para tudo isso.”

Segundo o presidente, a alta fiscalização do processo de privatização torna a medida mais difícil.

“Você não pode jogar os caras para cima. Eles têm que ter as suas garantias, você tem que ter um comprador para aquilo, é devagar. Você tem o TCU com lupa em cima de você. Não são fáceis as privatizações, não são fáceis”, disse.

 

Contrária à privatização dos Correios, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) argumenta que os servidores terão seus salários reduzidos e estarão sujeitos a condições de trabalho precárias caso o processo seja concluído.

Desde 2019, o governo demonstra clara intenção em privatizar uma série de empresas públicas. Já em agosto, o governo anunciou uma lista com 17 privatizações, que inclui empresas como Eletrobras, Telebras e Casa da Moeda. Segundo a Secretaria de Desestatização do Ministério da Economia, o objetivo é concluir as principais vendas até 2021.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.