CartaExpressa

Bolsonaro flerta com golpe e diz que a ‘tendência é acontecer uma ruptura’

‘ Se tem alguém que ousa continuar agindo fora das quatro linhas da Constituição, tem que chamar aquela pessoa e enquadrá-la’

Foto: MAURO PIMENTEL / AFP
Foto: MAURO PIMENTEL / AFP

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado 4 que, se o Supremo Tribunal Federal agir fora das quatro linhas da Constituição, “a tendência é acontecer uma ruptura”.

O mandatário, que discursou após passeio de moto pelo agreste pernambucano, atacou os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, mesmo sem citá-los.

“O STF não pode ser diferente do Poder Executivo ou Legislativo. Se tem alguém que ousa continuar agindo fora das quatro linhas da Constituição, o poder tem que chamar aquela pessoa e enquadrá-la. Se assim não ocorrer, qualquer um dos três Poderes… A tendência é acontecer uma ruptura”, declarou.

“Ruptura essa que eu não quero nem desejo. Tenho certeza, nem o povo brasileiro assim o quer. Mas a responsabilidade cabe a cada poder. Apelo a esse poder, que reveja a ação dessa pessoa que está prejudicando o destino do Brasil”, acrescentou.

A apoiadores, Bolsonaro comentou as manifestações do 7 de Setembro e afirmou que o poder moderador é o povo.

“Enquanto juristas ficam procurando quem é o poder moderador do Brasil, eu digo a todos eles: o poder moderador é o povo brasileiro”, disse.

“Temos um ou outro saindo da normalidade. Temos um ou dois jogando fora das quatro linhas da Constituição. Nós jogamos dentro das quatro linhas. Mas o povo, como poder moderador, não pode admitir que nenhum de nós jogue fora dessas quatro linhas”, continuou.

Assista:

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!