Bolsonaro diz que seu novo teste para o coronavírus deu negativo

Presidente foi diagnosticado com a doença no dia 7 de julho deste ano

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: reprodução.

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: reprodução.

Política

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, neste sábado 25, que seu novo teste para o coronavírus deu negativo. O anúncio foi feito com uma foto do capitão segurando uma caixa de cloroquina, remédio que foi descartado no tratamento da doença, mas que Bolsonaro insistiu em tomar por defender sua eficácia.

Esse é o 5º exame feito pelo presidente. Todos anteriores deram positivo para o coronavírus.

Desde de 7 de julho, quando anunciou que estava infectado, o presidente está em quarentena em um escritório dentro do Palácio do Alvorada, de onde despacha virtualmente com ministros e demais autoridades. Mesmo em isolamento, o presidente foi visto passeando em Brasília, montado em uma motocicleta, sem usar máscara. Na ocasião, conversava com funcionários de limpeza de rua. O momento foi flagrado pelo fotógrafo Adriano Machado, da agência Reuters.

Cloroquina: “Não tô recomendando. Tomei, me senti muito bem”

Durante todo o período que esteve infectado pelo coronavírus, Bolsonaro defendeu o uso da cloroquina. O presidente chegou a fazer vídeos e lives tomando o remédio e defendo sua eficácia, mesmo sem respaldo da ciência.

“Deixo bem claro que é uma adesão do médico e do paciente, como foi o meu caso. Não tô recomendando para ninguém não. Eu tomei, 12 horas depois estava me sentindo muito bem”, disse o chefe do Palácio do Planalto em live na última quinta-feira 23. “A mesma coisa me reportou o Onyx [Lorenzoni, ministro da Cidadania] e o ministro Milton [Ribeiro] da Educação”, completou, em referência a ministros infectados que também declararam ter feito uso do remédio.

Porém, um estudo realizado para medir a eficiência da hidroxicloroquina em pacientes com covid-19 demonstrou, novamente, que o medicamento não tem efeito comprovado na melhora do quadro respiratório de quem tem o coronavírus.

Em 17 de julho, a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) recomendou o “abandono urgente” da hidroxicloroquina para qualquer fase do tratamento contra a covid-19.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem