Bolsonaro demite ministro Santos Cruz, da Secretaria de Governo

General teve atritos com filhos do presidente e Olavo de Carvalho

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Política

Caiu mais um ministro do governo: desta vez, foi Carlos Alberto dos Santos Cruz, da Secretaria de Governo da Presidência da República. Santos Cruz foi demitido por Jair Bolsonaro (PSL), nesta quinta-feira 14. O cargo deve ser ocupado agora pelo General Luiz Eduardo Ramos Batista Pereira, comandante militar do Sudeste.

O ministro havia se envolvido em uma crise com os filhos do presidente da República e com o guru da família, o escritor Olavo de Carvalho, de quem recebeu diversos ataques públicos. É a primeira baixa de um militar no corpo ministerial.

À Folha de S. Paulo, o general chegou a dizer: “Eu nunca me interessei pelas ideias desse sr. Olavo de Carvalho”. Porém, a demissão pode simbolizar mais uma vitória do guru bolsonarista, já que o presidente da República não endossou nenhuma defesa a Santos Cruz.

O militar é o terceiro ministro a cair no governo de Bolsonaro. Antes dele, foram demitidos Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência, e Ricardo Vélez, do Ministério da Educação.

O substituto

Agora ocupante do posto, General Ramos é carioca e entrou cedo na vida militar, em 1973. Foi declarado Aspirante a Oficial da Arma de Infantaria em 1979.

Entre as principais funções que já exerceu, estão o Comando da 11ª Região Militar, em Brasília (DF), e da 1ª Divisão do Exército, no Rio de Janeiro (RJ). O novo ministro também fez passagem como Force Commander da Missão das Nações Unidas, para a Estabilização do Haiti e Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem