Bolsonaro debocha de investigações contra o governo: ‘CPI é um palanque’

O presidente voltou a ironizar o trabalho do relator Renan Calheiros (MDB-AL): 'Falastrão'

O presidente Jair Bolsonaro, durante live presidencial. Foto: Reprodução/YouTube

O presidente Jair Bolsonaro, durante live presidencial. Foto: Reprodução/YouTube

Política

O presidente Jair Bolsonaro dedicou sua live nesta quinta-feira 13 a uma série de ironias sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado que apura as omissões no combate à pandemia do novo coronavírus.

 

 

“CPI é um palanque, né?”, disse o presidente, ao lado do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Em seguida, criticou longas falas dos senadores. “Estão lá para aparecer, né?”, continuou, referindo-se a Renan Calheiros (MDB-AL) como “o falastrão do relator”.

Em outra ironia sobre Calheiros, Bolsonaro disse que ele está “meio queimado” na sua região eleitoral, o estado de Alagoas, onde o presidente cumpriu agenda horas antes da live e chegou a chamar o parlamentar de “vagabundo”.

“O relator disse que não faz parte do objetivo da CPI apurar desvio de recursos. É lógico, né Renan? Imagine, você tem uns 17 processos no Supremo, imagine mais um”, afirmou, embora Calheiros responda a nove processos abertos na Corte.

Bolsonaro disse ainda que, caso seja infectado novamente, quer voltar a tomar medicamentos que não têm eficácia comprovada contra a Covid-19. Sugeriu, ainda, a criação de uma “CPI do Tratamento Imediato”, em alusão a tratamentos com esses remédios.

“Fiz uma proposta hoje, acho que foi para a Carla Zambelli [deputada federal pelo PSL-SP], sugerindo uma CPI na Câmara para a gente investigar o tratamento imediato, outro nome que pode cair a live aqui, o pessoal sabe do que estou falando”, afirmou. “Se eu tiver problema de novo e for reinfectado, eu vou tomar de novo.”

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Post Tags
Compartilhar postagem