Política

Bolsonaro confirma fusão das pastas da Agricultura e do Meio Ambiente

Após reunião sobre transição de governo, futuros ministros do presidente eleito garantiram também criação de “superministério” da Economia

Futuros ministros de Bolsonaro, Lorenzoni e Guedes confirmaram as fusões
Futuros ministros de Bolsonaro, Lorenzoni e Guedes confirmaram as fusões

Após a primeira reunião sobre a transição de governo, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, confirmou por meio de seus dois futuros ministros, Onyx Lorenzoni e Paulo Guedes, a fusão dos ministério da Agricultura e do Meio Ambiente e a criação de um superministério da Economia. 

Guedes deve comandar um único ministério que irá fundir as pastas da Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio Exterior. 

Leia também:
Moro se diz ‘honrado’ com convite de Bolsonaro e promete pensar
Pressa faria Guedes abrir mão de sua proposta para a Previdência?

Ao longo da campanha, Bolsonaro chegou a recuar das duas propostas. 

A fusão dos ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente é alvo de crítica de diversos ambientalistas, já que são pastas com preocupações diametralmente opostas. 

Durante a campanha, a equipe técnica do PSL rejeitou a fusão das pastas do Meio Ambiente e da Agricultura, bem como a retirada do Acordo de Paris. Dois dias depois, no entanto, Bolsonaro reafirmou a ideia de unificação em entrevista a Rede Record. 

Cotado para assumir o ministério, Luiz Antonio Nabhan Garcia esteve com o candidato no dia 24 de outubro e, após a reunião, afirmou que a fusão poderia ser revista, caso fosse essa a “vontade da maioria da sociedade brasileira”.

Em entrevista recente, Bolsonaro admitiu ainda que poderia manter em separado o Ministério da Indústria e Comércio Exterior por causa de críticas do setor. Guedes chegou a ser questionado sobre essa possibilidade após a reunião desta terça-feira 30. “Nós vamos salvar a indústria brasileira apesar dos industriais”, rebateu. 

Carta Capital

Carta Capital

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!