Bolsonaro atinge negócios de Luciano Bivar ao acabar com DPVAT

Bivar é o controlador e presidente do conselho de administração da seguradora Excelsior, uma das credenciadas para cobertura do DPVAT

Presidente Jair Bolsonaro junto com o presidente do PSL, Luciano Bivar .
Foto: Divulgação/PSL

Presidente Jair Bolsonaro junto com o presidente do PSL, Luciano Bivar . Foto: Divulgação/PSL

Política

A medida provisória apresentada nesta segunda-feira 11 pelo presidente Jair Bolsonaro, que acaba com o seguro obrigatório DPVAT a partir de 2020, atinge em cheio os negócios do presidente do PSL, o deputado federal Luciano Bivar.

Bivar é o controlador e presidente do conselho de administração da seguradora Excelsior, uma das credenciadas pelo governo para cobertura do seguro DPVAT. O seguro indeniza qualquer pessoa vítima de acidente de trânsito dentro do território nacional e está previsto na lei desde 1974.

A Excelsior Seguros foi adquirida por Bivar na década de 1990.  Em seu site, a Excelsior se declara a maior seguradora do Nordeste. O Planalto não se manifestou sobre o caso.

A decisão de Bolsonaro, que atinge Bivar, acontece um dia antes de o presidente anunciar sua saída do PSL. A crise no partido começou em uma disputa de poder entre Bolsonaro e Bivar. Essa guerra rachou o partido, que a partir das eleições de 2018 se tornou a segunda maior legenda do Congresso.

Bolsonaro deixará o PSL e levará com ele diversos parlamentares, que migrarão para uma nova legenda criada pelo presidente. Com isso, o PSL perde forças e deixa de ser a segunda maior bancada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem