Bolsonaristas são demitidos da Cultura e Olavo culpa Regina Duarte

'Cagada minha', escreveu Olavo de Carvalho sobre apoiar o nome da atriz para a pasta. Entre os demitidos, está o presidente da Funarte

A secretária Especial da Cultura, Regina Duarte (Foto: Marcos Corrêa / PR)

A secretária Especial da Cultura, Regina Duarte (Foto: Marcos Corrêa / PR)

Política

Seis homens que atuavam em segmentos da pasta de cultura foram exonerados de seus cargos nesta quarta-feira 04, mesmo dia em que a nomeação da nova secretária especial de Cultura, Regina Duarte, foi publicada no Diário Oficial da União.

Entre eles, está Dante Mantovani, que estava à frente da Fundação Nacional das Artes (Funarte) e ficou conhecido por falar que rock estava ligado ao satanismo.

Além de Dante, os outros nomes são os de Paulo Cesar Brasil, presidente do Instituto Brasileiro de Museus; Reynaldo Campanatti Pereira, secretário da Economia Criativa; Rodrigo Junqueira, secretário de Difusão e Infraestrutura Cultural; Camilo Calandreli, secretário de Fomento e Incentivo à Cultura; e Marcos Villaça Azevedo, secretário de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual.

Em entrevista à Folha de S. Paulo, Camilo Calandreli, que exalta o presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais, afirmou que todos os demais colegas também possuem o perfil bolsonarista. Em uma postagem no Facebook, Calandreli publicou uma foto do momento que o presidente foi esfaqueado em 2018, e finaliza o seu texto de despedida da pasta questionando a decisão da troca de cargos:

“Lutamos e muito no sonho de ver Brasil Acima de Tudo e Deus Acima de Todos e Presidente Bolsonaro pense bem se valeu a pena trocar toda a equipe da Cultura que chorou e lutou ao teu lado por aqueles que riram e aplaudiram quando foi esfaqueado.”, escreveu o ex-secretário.

Pessoal, Boa Noite!Hoje se encerra o ciclo de maior aprendizado na minha vida. Agradeço a Deus pela oportunidade dada…

Posted by Camilo Calandreli on Tuesday, March 3, 2020

Quem também se manifestou em relação à notícia da demissão foi Olavo de Carvalho, autointitulado filósofo e guru ideológico do governo Bolsonaro. “Aplaudir a indicação da Regina Duarte parece ter sido uma cagada minha, mais uma entre tantas. Não sei onde vou arranjar tanto papel higiênico.”, escreveu na noite da terça-feira 03, quando os boatos das demissões já circulavam na imprensa.

Na segunda-feira 02, o guru já havia criticado a atriz pelo movimento de querer tirar os bolsonaristas da pasta. “Se a Regina Duarte quer mesmo se livrar de indicados do Olavo de Carvalho, a pessoa principal que ela teria de botar para fora do Ministério seria ela mesma”, escreveu. “Ao cogitar [do] seu nome para o posto, a primeira opinião que o sr. Presidente da República quis ouvir a respeito foi a minha”, disse Olavo.

Nos últimos dias, Regina Duarte tem expressado seu apoio ao governo Bolsonaro, divulgado, inclusive, o “manifesto” do presidente que convoca a população a se manifestar contra o Congresso Nacional.

Hoje, ela publicou um buquê de flores com uma mensagem de boas-vindas à Secretaria: “Regina Duarte, que Deus te ilumine para fazer da cultura do nosso Brasil um marco no nosso País!”, diz o recado.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem