Associação Brasileira de Imprensa diz que Bolsonaro mentiu em discurso na ONU

O presidente afirmou que imprensa brasileira politizou o coronavírus, disseminando o pânico entre a população

O presidente Jair Bolsonaro, durante gravação de discurso para a 75ª Assembleia Geral da ONU. Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro, durante gravação de discurso para a 75ª Assembleia Geral da ONU. Foto: Marcos Corrêa/PR

Política

Em nota emitida na noite desta terça-feira, 22, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) criticou o presidente Jair Bolsonaro pelo conteúdo de seu discurso na abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), também na terça.

Segundo a ABI, Bolsonaro mentiu e contribuiu para que o Brasil “caminhe para se tornar um pária internacional”.

“Sem qualquer compromisso com a verdade, o presidente afirmou que seu governo pagou um auxílio emergencial no valor de mil dólares para 65 milhões de brasileiros carentes, durante a pandemia. O auxílio foi de 600 reais”, afirma a nota, assinada pelo presidente da ABI, Paulo Jeronimo.

“O presidente responsabilizou índios e caboclos pelos incêndios na Amazônia e no Pantanal, que alcançam níveis nunca antes vistos no País. Todas as investigações, inclusive de órgãos oficiais, indicam que fazendeiros estão na origem das queimadas” segue a mensagem da ABI.

“O presidente transferiu a responsabilidade para governadores e prefeitos pelos quase 140 mil mortos vítimas do coronavírus. Todo o país é testemunha de sua leviandade, ao classificar a pandemia de ‘gripezinha’ e ir na contramão dos procedimentos defendidos pelas autoridades de saúde”, afirma a nota, concluindo: “A ABI repudia esse comportamento que vem se tornando recorrente e conclama o povo brasileiro a não aceitar o verdadeiro retrocesso civilizatório”.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem