Aprovação de Temer é igual à de Dilma, diz CNI/Ibope

Política

Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira 1º mostra que a aprovação do governo do presidente interino Michel Temer (PMDB) é semelhante à de Dilma Rousseff às vésperas do seu afastamento pelo Senado, no dia 12 maio.

De acordo com a pesquisa, que foi encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 13% dos entrevistados consideram o governo Temer ótimo ou bom. O último levantamento, divulgado em março, mostrou que Dilma tinha a aprovação de 10% dos brasileiros. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O levantamento indica ainda que 39% consideram o governo Temer ruim ou péssimo, e 36% o julgam regular. Outros 13% não souberam responder ou não quiseram opinar. Quanto à reprovação do governo Dilma, 69% consideravam a gestão da petista ruim ou péssima.

O Ibope também perguntou a respeito da comparação entre o governo interino e o anterior: para 44%, o governo Temer é igual ao de Dilma.

Os entrevistados também foram questionados sobre a maneira de governar de Michel Temer: 31% aprovam, enquanto 53% reprovam o modo como o presidente interino comanda o País. A pesquisa revela, ainda, que 66% não confiam e outros 27% confiam em Temer.

A popularidade de Temer é ainda mais baixa na região Nordeste, onde 44% consideram o governo ruim ou péssimo, 72% não confiam no presidente interino e 63% reprovam sua maneira de governar. 

O Ibope ouviu 2.002 pessoas entre os dias 24 e 27 de junho, em 141 municípios. O grau de confiança da pesquisa é de 95%. De acordo com o instituto, a soma dos percentuais pode não igualar 100% devido aos arredondamentos.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem