Política

Abraji repudia declaração de Bolsonaro sobre jornais: ‘Próprio de ditadores’

‘Ele se diz democrata, mas seus atos e palavras apontam na direção oposta’, diz entidade

O presidente Jair Bolsonaro. Foto: Anderson Riedel/PR
Apoie Siga-nos no

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo divulgou uma nota de repúdio à declaração do presidente Jair Bolsonaro em que defendeu o fechamento dos jornais O Globo, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo. Em nota publicada nesta terça-feira 16, a Abraji disse que a “ameaça” é própria de “autocratas e ditadores”.

 

“A Abraji repudia as declarações do presidente. Ele se diz democrata, mas seus atos e palavras apontam na direção oposta. Autocratas e ditadores costumam usar estratégias discursivas para defender o fechamento de jornais: constroem, antes, um ambiente de hostilidade e demonizam a imprensa para confundir a população”, escreveu a entidade.

A organização disse ainda que, ao atacar a imprensa, Bolsonaro contrariou o Artigo 85 da Constituição, que define como crime de responsabilidade o atentado aos direitos políticos, individuais e sociais.

“É inaceitável que o presidente insinue que a mídia brasileira seja conivente com a censura e produza tão somente reportagens mentirosas”, disse a Abraji.

“Bolsonaro distorce o discurso da proteção da liberdade de expressão para atacar a imprensa. Com isso, despreza o papel fundamental de uma imprensa independente e crítica na manutenção da democracia”, prossegue a nota.

Na ocasião, Bolsonaro reclamou de uma suposta restrição do Facebook que teria impedido sua conta de receber imagens de apoiadores sobre os impostos relativos aos combustíveis. Além de defender a retirada de circulação dos jornais, também criticou o Facebook.

A declaração ocorreu em Santa Catarina, onde o presidente passou o Carnaval.

“O certo é tirar de circulação Globo, Folha de S.Paulo, Estadão, Antagonista. São fábricas de fake news. Agora, deixa o povo se libertar, ter liberdade. Logicamente, se alguém extrapolar alguma coisa, tem a Justiça para recorrer. Agora, o Facebook vir bloquear a mim e a população… É inacreditável que isso impere no Brasil. E não há reação da própria mídia”, disse Bolsonaro.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo