Eliara Santana

Pesquisadora Associada do CLE/Unicamp e uma das criadoras do Observatório da Desinformação.

Opinião

assine e leia

A teia da mentira

O esquema de espionagem em prol de Bolsonaro era uma das engrenagens do ecossistema de desinformação

Foto: Marcelo Camargo/ABR
Apoie Siga-nos no

Investigações deflagradas pela Polícia Federal no fim do mês de janeiro mostraram um ardiloso e bem montado esquema ilegal de espionagem na Agência Brasileira de Inteligência, a Abin, um esquema denominado de “Abin Paralela”, e o protagonismo de um personagem para o qual sempre chamei atenção: Carlos Bolsonaro, o Carluxo, filho 02 de Jair Bolsonaro. Para além disso, as operações da PF revelaram como a desinformação sistematizada é uma peça vital para os projetos políticos da extrema-direita. Arapongagem não é exatamente uma novidade no Estado brasileiro, que ainda vive à sombra da herança autoritária do regime militar que golpeou o País há 60 anos. Os métodos escusos permanecem, assim como a presença de militares alinhados ao bolsonarismo em postos estratégicos do governo.

Mas, no contexto atual, nessa aventura bolsonarista de espionagem, vimos claramente o funcionamento do que chamo de um ecossistema de desinformação, a partir das minhas pesquisas. Em linhas bem gerais, o que defino como ecossistema é uma organização complexa e dinâmica que não se restringe apenas à ação de espalhar notícias falsas. Há uma rede profissional organizada para produzir e espalhar conteúdos falsos, em várias vertentes, com muitos atores envolvidos e farto financiamento público. Tal configuração, consolidada ao longo dos últimos cinco anos com o governo Bolsonaro, teve impactos graves no funcionamento da democracia brasileira em diversos momentos: pandemia, eleição de 2022 e o vandalismo do 8 de Janeiro, em Brasília.

Este texto não representa, necessariamente, a opinião de CartaCapital.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo