Mundo

União Europeia receberá 20 milhões de doses extras de vacinas para conter variante ômicron

Continente enfrenta uma nova onda de casos de Covid-19

Menina toma dose da vacina em Paris. FOTO: GEOFFROY VAN DER HASSELT/AFP
Menina toma dose da vacina em Paris. FOTO: GEOFFROY VAN DER HASSELT/AFP
Apoie Siga-nos no

Os países membros da União Europeia receberão 20 milhões de doses adicionais da vacina da Pfizer-BioNTech nos primeiros três meses de 2022 para lidar com a variante ômicron, informou a Comissão Europeia neste domingo 19.

A Europa enfrenta uma nova onda de casos de Covid-19 devido à variante ômicron, detectada no início de novembro na África do Sul e altamente contagiosa.

Muitos países estão intensificando as campanhas de vacinação e impondo novamente restrições às viagens para tentar conter o aumento exponencial das infecções.

Os Estados-Membros receberão 5 milhões de doses adicionais da vacina Pfizer-BioNTech em janeiro, 5 milhões em fevereiro e 10 milhões em março, disse a Comissão em um comunicado.

“Essas doses se somam às 195 milhões de doses já programadas da Pfizer-BioNTech, elevando o número total de entregas no primeiro trimestre para 215 milhões”, acrescentou o órgão executivo da União Europeia.

 

A vacinação completa e as doses de reforço são “agora mais urgentes do que nunca”, devido ao “aumento rápido projetado de infecções devido à variante ômicron”, disse a Comissão.

No total, a UE deve receber 650 milhões de doses de vacinas da Pfizer-BioNTech em 2022.

A variante foi detectada em cerca de 80 países e está avançando rapidamente na Europa, onde pode se tornar dominante em meados de janeiro, de acordo com a Comissão Europeia.

AFP

AFP Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.