Mundo

Ucrânia fará primeiro julgamento por crimes de guerra após invasão russa

Um soldado, sob custódia, pode pegar prisão perpétua por crimes de guerra e assassinato premeditado

Destroços da guerra.

Foto: Dimitar DILKOFF / AFP
Destroços da guerra. Foto: Dimitar DILKOFF / AFP
Apoie Siga-nos no

A Ucrânia irá organizar seu primeiro julgamento por crimes de guerra após a invasão de Moscou, de um soldado russo de 21 anos acusado pela morte de um civil desarmado, anunciou a procuradoria-geral nesta quarta-feira.

Vadim Shishimarin é acusado de ter disparado da janela de um veículo e matado um civil de 62 anos, para impedi-lo de depor sobre o roubo do carro, segundo o comunicado da procuradoria.

Quando seu comboio foi atacado no norte da Ucrânia, em 28 de fevereiro, Shishimarin juntou-se a outros quatro soldados e roubou um carro nos arredores do povoado de Chupakhivka, segundo o comunicado do gabinete da procuradora-geral, Iryna Venediktova. A vítima circulava de bicicleta nas proximidades, e “um dos militares ordenou que o acusado matasse o civil, para que ele não pudesse denunciá-los”.

O soldado, sob custódia, pode pegar prisão perpétua por crimes de guerra e assassinato premeditado.

A Ucrânia e seus aliados da Otan acusaram repetidamente as tropas russas de cometerem crimes de guerra durante a invasão, que começou em 24 de fevereiro. Reino Unido, Holanda e França enviaram investigadores para ajudar as equipes locais e do Tribunal Penal Internacional a investigar atrocidades durante a guerra.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.