Mundo

Twitter apaga post em que Trump acusa democratas de roubar as eleições

Mesmo com menos delegados, republicano já anuncia sua vitória

"Honestamente, nós ganhamos a eleição", afirmou Trump. Fotos: MANDEL NGAN / AFP "Honestamente, nós ganhamos a eleição", afirmou Trump. Fotos: MANDEL NGAN / AFP
Apoie Siga-nos no

O Twitter apagou, nesta quarta-feira 4, uma publicação em que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusava os democratas de roubar as eleições. “Estamos muito à frente, mas eles tentam roubar a eleição. Nunca vamos deixá-los fazer isso”, escreveu Trump em um tuíte que foi imediatamente marcado como “enganoso” pela plataforma.

 

Durante a madrugada, Biden também se pronunciou, mas em um tom conciliador. “Mantenham a fé, vamos vencer”, prometeu o ex-vice-presidente de Barack Obama para os simpatizantes reunidos dentro de seus automóveis. “Isto não acaba até que cada voto seja contado.”

Pedindo paciência a respeito aos resultados, completou: “Temos confiança no Arizona”, um estado crucial no qual, segundo o prognóstico do canal Fox News, os democratas devem vencer.

Trump já anuncia vitória 

A contagem de votos das eleições americanas acontece sob tensão nos Estados Unidos. Apesar da apuração estar longe da “onda azul” prevista pelas pesquisas, o candidato democrata, Joe Biden, diz que mantém o otimismo. Em discurso, o presidente Donald Trump anuncia uma “grande vitória” e acusa o rival de roubar a eleição. Uma publicação do republicano foi censurada pelos moderadores do Twitter.

“Honestamente, nós ganhamos a eleição”, afirmou Trump em discurso na Casa Branca nesta manhã. Em tom de vitória, o presidente declarou que os democratas estão “roubando” a contagem de votos.

Evocando uma “vergonha” da parte dos rivais, ele ameaçou até mesmo acionar a Suprema Corte por não confiar nos resultados preliminares. “Estávamos perto de celebrar algo magnífico”, ressaltou.

Primeiros resultados

O vencedor não será conhecido nesta quarta-feira, devido à grande quantidade de votos emitidos pelo correio e cuja contagem poderá demorar até alguns dias, em alguns estados.

Os primeiros resultados, com base em projeções da imprensa americana, atribuem até o momento vitória a Trump em estados-chave, como Flórida e Texas. O republicano também venceu em Indiana, Kentucky, Missouri, Tennessee e Virgínia Ocidental.

Biden venceu em seu reduto, Delaware, Nova York, com seus 29 votos ao Colégio Eleitoral. Também obteve a Califórnia, com 55 votos, além do Distrito de Columbia, com apenas 3, mas com importância simbólica porque é onde fica a capital americana.

Até o momento, Biden tem 225 votos no colégio eleitoral contra 213 para Trump, depois que Nebraska dividiu seus votos entre os dois – quatro para Trump e um para Biden, segundo projeções das emissoras CNN e Fox News. São necessários 270 dos 538 votos no colégio eleitoral para se eleger o presidente nos Estados Unidos.

As seções eleitorais começaram a fechar às 18h locais de Washington, DC (20h de Brasília), e uma hora depois no estado-chave da Geórgia e em outros cinco: Kentucky, Carolina do Sul, Vermont, Virgínia e Indiana. As últimas fecharam à 1h local (3h de Brasília).

Observadores esperam que a corrida à Casa Branca acabe definida em alguns estados considerados campos de batalha nestas eleições. Além da Geórgia, poderão definir a eleição presidencial Pensilvânia, Carolina do Sul, Arizona e Michigan.

RFI

RFI
Rádio pública francesa que produz conteúdo em 18 línguas, inclusive português. Fundada em 1931, em Paris.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.